Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

A inveja

Hoje venho falar sobre sentimentos. Sobre um sentimento muito específico, mas tão intrínseco no mundo da caça. Infelizmente....

Infelizmente, a inveja, esse tal sentimento, é cada vez mais patente e mais inexplicável. Um dos 7 pecados mortais que poderá estar a "matar" (e muito) a nossa caça.

Há cada vez mais um desejo exagerado por tudo o que é dos outros. Na Caça isso é visível. Se um mata mais, amanhã teremos de matar ainda mais. 

Se nesta Lua o caçador x matou um navalheiro, então teremos que ir todos os dias (horas a fio) encontrar um navalheiro. 

Se um tem um cão de uma certa raça, que é muito bom, então terei também de comprar um assim, tal e qual (esquecem-se que cada cão é diferente e, sobretudo, cada dono do cão é diferente).

Se ontem alguém caçou 5 ou 6 coelhos na Herdade X, amanhã terei de me fazer Sócio, para ver se também consigo tal proeza.

.... E continua... E é nesta base que muitos vivem! Com inveja, dominada de um certo ódio e maldade. 

Como pode acabar isto com a Caça? Quando há sentimentos de ódio, emoções mais negativas, tudo acaba. É a ganância de querermos sempre mais e não nos contentarmos com aquilo que temos. E depois gera-se uma ganância ainda maior com as espécies cinegéticas, que nada deveriam estar associadas a esta problemática.

É raro ouvirmos uma palavra mais carinhosa. Um simples "Parabéns", sem ser denotado com algo mais sôfrego. Um olhar puro, de felicidade, por termos conquistado algo importante para nós, é impensável. Esse tal olhar está sempre (ou quase sempre) com algum ciúme à mistura. 

Mas meus amigos... Deixem a inveja num outro mundo, que não o nosso. Seja na Caça ou na vida pessoal. A inveja afeta, de forma impetuosa, a auto estima. Estamos tão focados nos outros que nos esquecemos de nós próprios. De quem somos, da missão que temos neste mundo e, acima de tudo, do quanto valemos. Esquecemo-nos, a toda a hora, desse pequeno (grande) pormenor. O que valemos nós? 

Não é por matarmos mais que valemos mais (muito pelo contrário). Não é por caçarmos mais que valemos mais. Não é, de todo, por termos mais posses monetárias que valemos mais. Isso equivale a um status ou a um tabu imposto por uma Sociedade Moderna (se é que podemos intitulá-la de tal forma), em que "escravos" dessa mesma Sociedade se regem. 

 

Chegamos a um ponto que, se calhar, envolvemo-nos de tal forma nesta inveja que já não a conseguimos dissipar. Queremos sempre mais. E esse mais pode ser algo inalcançável por nós. E se um dia quisermos alcançar esse mais, teremos de estar repletos de humildade e simplicidade. De sentimentos puros e bons. Porque só aí vamos dar valor às nossas conquistas. Só aí iremos olhar aquilo que conseguimos e/ou temos de uma forma, outrora, diferente. Quando deixarmos a inveja nesse outro mundo, todos os lances terão uma nova história e todas as peças cobradas vão ser sentidas e vividas como se fosse a primeira vez. Com a inveja a reinar, as nossas conquistas valerão pouco, pois as dos outros são mais importantes. Criar um mundo sem inveja, onde a felicidade se instala - com as conquistas dos outros e as nossas, é possível. Basta querermos e abrirmos o coração para esse mundo cor-de-rosa que, afinal de contas, até poderá existir...

ML.