Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

E se proibissem a Caça? O exemplo da Holanda

E se proibissem a caça em Portugal? Sim, se proibissem a caça; o que é que aconteceria? Já alguém pensou sobre isto de verdade, com calma, analisando todas os prós e contras? 

 

No fundo, mais do que pensar sobre isso e fazer suposições; creio que o melhor é analisar exemplos concretos. Perceber o que funciona bem e o que não funciona num sistema onde a caça é proibida. E, consequentemente, onde há uma série de coisas que não são feitas, nomeadamente o controlo de espécies e a gestão cinegética. 

 

Assim sendo, vamos falar concretamente sobre o exemplo da Holanda, ondem em 1999 proibiram a caça aos gansos.

Diziam ser um método cruel de controlo e que a natureza se regula e equilibra de forma independente. Diziam também que a agricultura pouco perderia e que os recursos advindos da caça regulamentada não seriam necessários. E então essa lei foi aprovada, aliado à pressão de grupos defensores dos direitos animais.

O que aconteceu? Tudo aquilo que não esperavam e tudo aquilo que não tinham estudado ou idealizado. A situação reverteu-se e, em vez de "ajudarem" os gansos, só os prejudicaram. E porquê? Porque, sem controlo nem gestão, parece que a natureza dos dias de hoje já não se consegue mesmo equilibrar sozinha e, por isso mesmo, houve uma explosão no número de gansos selvagens, com um aumento da população de mais de 2000% em 15 anos.

Este aumento descontrolado de aves causa enormes prejuízos para a agricultura. O problema é tão grave, que o governo holandês foi obrigado a criar um fundo de compensação permanente, para o qual destina agora mais de 11 milhões de euros por ano, para ajudar os agricultores que sofrem os danos causados pelos gansos nas suas plantações. Este valor aumentou 300% nos últimos cinco anos.

A Watson Magazine relata que os agricultores estão revoltados porque a compensação que é paga pelo governo cobre menos de metade das suas perdas, estimadas em 25 milhões de euros por ano.

Os militantes e apoiantes dos direitos animais não assumiram estas dívidas e não deram uma solução para toda esta crise.

Mas as consequências de tal decisão não ficam por aqui; pois o problema já se estende para os países vizinhos, como Essen, na Alemanha, onde estudos mostram que as aves e os seus excrementos estão a poluir os lagos.

 

Depois desta decisão e do que tem surgido após isso, o governo holandês teve de arranjar soluções. Quais? O abate de gansos como forma de aliviar a pressão sobre a agricultura e os ecossistemas.

A diferença é que agora paga pelos abates de 250.000 aves por ano, sem receita alguma para projetos de conservação ou manutenção de habitats selvagens.

Há um “profissional” licenciado pelo estado para matar as aves perto do aeroporto de Schipol, onde grandes bandos de gansos colidem regularmente com aeronaves e podem representar ameaça significativa para a vida humana. 

 

E querem saber como fazem isto? Como é que, ao proibirem a caça por ser um ato criminoso, resolveram a questão?

Com um ato ainda mais criminoso e selvagem: encurralar os filhotes de aves (que ainda não voam) num reboque adaptado, e bombear gás do escape do veículo para dentro do compartimento, matando dezenas de milhares de aves por asfixia. Chegou a ser registado que com esta técnica, as aves levam mais de um minuto e meio para morrer, tempo no qual, em pânico e sofrendo com a falta de oxigenação cerebral, elas começam a atacar umas às outras antes de perderem a consciência.

Pois é! Qual será a morte mais cruel? Um tiro, em que nada sentem; ou isto que têm agora? E não vamos debater o facto de haver ou não morte; porque ela terá sempre de existir.

 

As imagens de milhares de gansos arrebanhados para envenenamento por gás provocou revolta sobre o assunto, nomeadamente na Alemanha, onde as associações contra o “Holocausto” são claras. Alguns grupos alemães já condenam a prática e defendem o retorno da caça regulamentada como um método mais natural, responsável e economicamente viável no controle do número de aves.

 

É evidente que a proibição da caça, na Holanda, não foi o melhor método para promover o bem-estar animal prometido por ambientalistas. O intrigante é que apesar do agravamento das condições do bem-estar animal, os grupos dos direitos animais têm se mantido “silenciosos” sobre o tema, e chegam mesmo a indicar a morte por gás para substituir a caça em outras localidades…

 

O diretor da Natural Hunting Foundation, Marc Henrich, questiona se realmente este método de controlo se destina à proteção dos animais e à conservação dos gansos na natureza, ou se o objetivo é somente a discriminação da caça por razões ideológicas. Ele defende que as aves não devem ser mortas nos seus ninhos, que os ninhos não devem ser destruídos, e que os gansos não devem morrer envenenados por gases. Tamanha destruição não aconteceria se a caça continuasse regulamentada. E teriam ainda os recursos oriundos da caça controlada, que estariam a ser revertidos em projetos de conservação e no ressarcimento das perdas agrícolas.

 

E agora, analisando este exemplo concreto e real, talvez possamos responder à pergunta acima colocada: e se proibissem a caça? Sim, se proibissem a caça; o que aconteceria?

A resposta é simples: matar-se-iam os animais, mas de forma cruel, destruindo ninhos, crias e tudo o resto. Sem gestão, sem conservação (há espécies selvagens que já desapareceram em zonas onde a caça é proibida, como é o exemplo da Índia), sem preocupação com o seu bem estar! 

 

Por isso digo constantemente: o objetivo primordial da caça e do verdadeiro caçador é cuidar, ajudar, perservar, gerir e tratar da natureza e dos animais. 

E qual é o objetivo primordial destas pessoas que tanta raiva e ódio têm para com os caçadores?

 

(http://coisasdomato.blog.com/)

 

ML.

 

Resultado de imagem para gansos holanda - camaras de gas

2 comentários

Comentar post