Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

O Amor

 

 O que é o amor? É tão difícil definirmos esta palavra... Esta palavra que, por vezes, nos deixa no pico da felicidade e, logo a seguir, nos pode derrubar com todas as suas forças. O amor é algo que não se explica, sente-se... Várias pessoas o dizem e todos nós, seres humanos, conseguimos senti-lo (nem que seja uma vez na vida). Pelo menos é sinal de que estamos vivos. De que temos emoções e sentimentos e de que, o amor, também a nós nos consegue tocar... Mas o amor... Esse ambíguio sentimento... Será que ele tem o poder de nos definir como pessoas? Como seres humanos? 

Eu creio que sim... Creio que o amor, em todas as suas dimensões, consegue transformar-nos em seres humanos melhores... E todos os dias... Se estivermos dispostos a isso. Eu transformo-me, todos os dias, numa pessoa melhor... Com o amor... Sim! Simplesmente com o amor... Porque transformo esse amor em felicidade... Estes pequenos (ou grandes) momentos de ou com amor em grandes momentos de felicidade. E assim vou sendo feliz. Com o amor que sinto. E, neste sentido, com o amor que sinto pelos animais... Sim, a caçadora assassina e mortífera consegue ter e sentir amor pelos animais... E tanto amor que nem o consigo definir!

Um amor que me foi tornando na pessoa que sou hoje! Um amor que me deixa viver a vida e aproveitá-la da melhor forma possível (pelo menos, para mim)... Um amor que me faz chegar a casa, todos os dias depois do trabalho, com uma alegria imensa pois sei que tenho sempre "alguém" que me recebe com a maior felicidade do mundo. Um amor que me faz viver todos, ou quase todos, os fins de semana com uma intensidade e uma felicidade que não são normais... A caça... Os cães... Ou este amor pela caça e pelos cães permitem-me ir mais além... Permitem-me sentir este amor no seu expoente máximo! E ainda bem que o meu amor não se vinculou a centros comerciais ou a tardes de sofá... 

Que bom que é amar... Que bom que é amar os animais! Que bom que tive a possibilidade de os poder amar desde bem cedo... Que bom que hoje sou uma mulher invadida por este amor animal e cinegético! Este amor que me faz, constantemente, compreender a caça e os caçadores (não os matadores). Este amor que me faz compreender a felicidade e o amor que as espécies cinegéticas têm em viver livres e no seu habitat. Este amor que me faz compreender o amor dos cães na sua função de caçadores. E entramos no ciclo vicioso... O ciclo vicioso do amor... O ciclo vicioso do amor, da caça, dos animais e dos caçadores!

ML.