Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

O ataque do PAN à caça e ao mundo rural

É tão triste vivermos num mundo onde existem pessoas como vocês... 

Quem são vocês para tentarem acabar com o mundo rural?

Quem são vocês para tentarem acabar com o emprego e o sustento de muitas famílias? Quem são vocês para as colocarem na miséria?

Quem são vocês para decidirem se nós, cidadãos do mundo rural, podemos ou não ter um cão ou uma vaca no quintal; no nosso quintal?

Quem são vocês, PAN, que desde que surgiram tentam destruir pessoas, animais e a natureza?

 

Hilariante este trocadilho, não é? Até que ainda consegui soltar uma gargalhada, por mais pequena que fosse; porque neste momento estou preocupada. Deveras preocupada. Não por mim, mas pelo que vocês estão a fazer a tantos outros iguais a mim (e a vocês claro). Estão a destruir. E porquê? 

Porque a ganância, o poder e o dinheiro são os alicerces da vossa campanha, do vosso partido e da vossa vida. Atacar em todas as frentes, para ver qual a que vos dá mais poder! Atacar pessoas, animais e a natureza, fingindo que os idolatram. Porque se essa fosse a vossa verdadeira preocupação o discurso seria totalmente diferente mas, acima de tudo, as ações. 

Hilariante também é o facto de nunca vos ter visto, a vocês PAN, na natureza, a cuidar dos animais, a dar-lhes água e comida, a prevenirem doenças, a controlarem predadores e a certificarem-se que o equilíbrio ecológico é mantido. E isso revolta-me! Só me pode revoltar! O partido dito defensor dos animais a única coisa que faz é julgar? Dizer mentiras a quem não conhece a realidade? Sentar-se atrás de um computador e ameaçar pessoas?

Não pode ser real... Ou então estou num mundo virado de pernas ao contrário. Mas é real! E quiçá o mundo esteja mesmo assim...

 

Em relação às vossas seis propostas, deixem-me dizer-vos algumas coisas. Vou ser breve, para não vos cansar com tanta teoria. Quando quiserem vir ter connosco, na prática, irão aprender muito mais, acreditem.

 

1) Regime uniforme de dois dias de caça por semana para os terrenos ordenados e não ordenados. O problema das pessoas que são contra a caça é serem ignorantes e não conhecerem a verdadeira realidade da caça e do mundo rural. Não percerem que o acto de matar uma espécie de caça é a última instância na e da caça. Há uma série de procedimentos, de sentimentos, de trabalho, de preocupação que acontecem e todos desconhecem. E porquê? Porque os fins de semana passados em casa ou nos centros comerciais são mais produtivos que aqueles passados no campo a tratar dos animais. A tratar; e não a matar; leram bem...

 

2) Proibição de caça à rola e coelho por um período de 3 anos, espécies que estão a desaparecer a um ritmo galopante em Portugal por caça excessiva. Qual a base desta vossa teoria? Primeiro ponto: estas espécies não estão a desaparecer por caça excessiva, mas sim por doença que tem dizimado toda a população de coelhos; e pelas modificações na agricultura, que levam a que a rola não permaneça na nossa zona. São de um profundo desconhecimento estas teorias, o que me assusta profundamente.

Alguma vez viram um coelho bravo morto no campo com a doença? Alguma vez apanharam um coelho bravo morto, para o levar para análise e estudo? Alguma vez se interessaram em desenvolver vacinas ou em sequer pensar neste assunto, para salvar esta espécie? Alguma vez perderam um fim de semana vosso para irem ao campo fazer comedouros com medicamentos para os coelhos? 

E posso continuar... Sabem qual o alimento da rola? Sabem que terrenos ela prefere? Conseguem perceber as modificações na agricultura, por exemplo, na cultura do girassol e a forma que isso influenciou a rola? 

Pesquisem e informem-se de tudo isto antes de escreverem estas obscenidades.

 

3) Igualar os períodos venatórios do terreno ordenado aos do terreno não ordenado no que diz respeito à caça menor. Sabem o que é o terreno ordenado e o terreno não ordenado? Sabem o que se passa em cada um deles? A organização, a gestão, o número de espécies, a sua reprodução? Sabem que tipo de caça se pratica? Como se pratica? 

Deixem-me contar-vos uma coisa, que acho deveras interessante. E é suportada por estudos científicos e dados reais; o que torna tudo ainda mais interessante, e real. Sabiam que os caçadores contribuiram quatro vezes mais na conservação das espécies e da Natureza (nomeadamente na defesa e melhoramento da vida selvagem e doações ara organizações de conservação)? - Estudo da Universidade Cornell (EUA), 2015.

Sabiam que na América do Norte, em 1907 havia 41.000 alces e depois de um trabalho exímio dos caçadores e da caça sustentada em 2015 há mais de 1 milhão de alces? E em 1900 havia 500.000 veados e em 2015 32 milhões?

Sabiam que na África do Sul, desde que a caça é legal, o número de rinocerontes subiu de 100 para 11.000 mil?

 

Mas... Em países onde a caça não é legal e onde conseguiram acabar com ela, sabem o que acontece? Continuo a dar-vos exemplos reais...

Na Índia e no Quénia as grandes espécies selvagens estão em declínio, pois não há um controlo da vida selvagem.

Na Holanda proibiram a caça do ganso desde 1999 e houve um aumento desta espécie de 2000%. Os cidadãos pagam 11 milhões de euros por anos pelos danos que estas aves causam, principalmente devido ao perigo que representam no tráfico aéreo. Acreditam que o governo holandês está a pensar voltar a autorizar a sua caça, para que os gastos sejam menores e a população viva melhor? Pois é... Interessante!

 

4) Sancionamento de venenos na atividade cinegética. Em todas as vossas teorias percebe-se nitidamente o total desconhecimento do mundo rural e este ponto é apenas mais um exemplo. Acham que já não há sanções para quem usa venenos na atividade cinegética? Pensam que são os caçadores a usar os venenos? Os caçadores são os primeiros a denunciarem aqueles que usam venenos ou outro tipo de material contra os animais, tal como laços ou armadilhas... Há denúncias, há inspeções, há autoridades que são chamadas para resolver este tipo de problemas. Estejamos mais atentos àqueles que usam venenos para matarem os cães dos vizinhos, os gatos vadios ou talvez a mulher que chateia muito em casa...

 

5) Impedir a utilização de matilhas. Não vou falar sobre a tradição das matilhas e matilheiros. Com tradições não vamos lá... Não vou explicar-vos o que é a vida de um matilheiro e o trabalho árduo que ele tem. Também não iriam compreender (porque não querem). Talvez vos diga, mais uma vez, para nos acompanharem um dia no campo, na natureza, com os animais. Convidamo-vos a virem connosco e com as nossas matilhas. Se gostam tanto de animais, depressa sentirão a felicidade dos cães a fazerem aquilo para que nasceram; aquilo que fazem há milhares e milhares de anos. Bem sei que os querem confinar a um apartamento e a um passeio à trela duas vezes por dia. Mas um cão merece mais do que isso, bem mais... Um verdadeiro apaixonado por cães sabe-o melhor que ninguém e não os pode impedir de fazer aquilo que mais gostam! "Se não podemos impedir os nossos filhos de serem homossexuais, também não podemos impedir os nossos cães de serem caçadores"... Talvez possamos fazer esta comparação, no momento em que estamos! 

 

Neste processo de caça, os cães funcionam como arma usado contra o animal a ser caçado, isto porque é da luta entre os cães e a presa que resulta a morte ou quase morte desta. Luta entre cães e a presa? Esta vossa teoria resulta do quê? De um vídeo que encontraram na youtube em que os predadores caçam a presa? Pois bem, na maioria das situações, o predador persegue a presa, que foge. Ou então pára a presa, a peça de caça. O cão pode ficar imobilizado, apontando para o caçador que a peça está ali. Um cão de matilha é um cão que descobre a caça. Um caçador caça uma espécie cinegética depois do cão ter feito o seu trabalho em descobrir a caça. Um caçador não mata uma peça de caça só por matar. Isso não é caçador; isso é um matador.

No mundo inteiro, os milhões de animais existentes caçam. Com esta vossa teoria, talvez devemos castigar e punir todos os predadores, não? Os leões, os leopardos, os javalis, as raposas, as cobras, os cães, e nós humanos. Também devíamos ser punidos, não acham? Somos predadores... Comemos outros animais... E outras plantas, que agora reagem aos estímulos e sabem quando vão ser comidas, segundo um novo estudo científico. Deixemo-nos de fundamentalismos rídiculos... 

 

6) Obrigatoriedade da presença de inspector sanitário em determinados actos venatórios. Mais uma vez, convido-vos a conhecerem a nossa realidade e o que é verdadeiramente o acto venatório. Há inpecções sanitárias em atos venatórios. É uma realidade! Entristece-me que não saibam, porque tendem a não querer saber...

 

PAN, as pessoas, os animais e a natureza precisam de todos nós! Passamos por dificuldades - as alterações climáticas; a poluição; as modificações na agricultura; - tudo isso mata milhares de animais. Os caçadores têm feito um trabalho exímio na gestão das espécies cinegéticas e da natureza. Os trabalhadores rurais também fazem o seu trabalho exímio, como podem! Não nos podem tirar a nossa vida! Não podem querer acabar com estas pessoas, com estes animais que são protegidos por estas pessoas e com a sua casa, a natureza. Vocês não têm esse direito! Principalmente porque agora é giro ser-se "amigo dos animais". 

Venham ter connosco; ensinamo-vos o que é ser um verdadeiro amigo dos animais... Como sempre fomos e como sempre seremos! Sem interesses e jogos políticos... 

ML.

 

Sem Título.png

 

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.