Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Diário de uma Caçadora

Palácio Nacional de Mafra

Há dias em que escolhemos conhecer um bocadinho do nosso maravilhoso país e da nossa maravilhosa história. Saber o que aconteceu, porque aconteceu e, sobretudo, como é que chegamos até aqui é algo de fascinante. Nesse sentido, a visita ao Palácio Nacional de Mafra tornou-se indespensável. Durante muitos anos fizemos visitas guiadas com a escola a esta relíquia, contudo havia coisas que já tinha esquecido.

 

O Palácio Nacional de Mafra, situado em Mafra, foi construído em 1717, por inciativa de D. João V, em cumprimento de um voto para obter sucessão do seu casamento com D. Maria Ana de Áustria ou a cura de uma doença de que sofria. Com um estilo barroco joanino, o convento tinha uma função inicial religiosa, onde albergava frades e outros religiosos. O Palácio nunca foi residência habitual da Família Real.

 

 

O palácio era muito famoso para aqueles que gostavam de caçar, pois tinham a Tapada de Mafra muito perto. Durante os últimos reinados da Dinastia de Bragança, o Palácio foi utilizado como residência de caça.

 

Na visita ao Palácio, foi possível ver os quartos reais, a ala da enfermaria, o sítio dos frades e a enorme biblioteca. Nesta biblioteca, existem muitos morcegos.

 

 

Obviamente, que o que mais me impressionou, foi o salão de caça, com troféus e com obras maravilhosas.

 

21222814_10155821445439455_889614900_o.jpg


 

Os pormenores de cada peça nesta sala são incríveis. 

 

 

No corredor da copa, onde há uma máquina em ferro fundido, para afiar e limpar facas; um armário louceiro com serviço de copos de vidro e uma fonte/lavabo em falança portuguesa, é possível vermos também alguns troféus caçados, como decoração.

 

 

Havia também uma sala, intitulada "A Sala de Diana", devido à pintura do tecto, que representa a Diana (Deusa da Caça), acompanhada de ninfas e sátiros. Da autoria de Cirilo Machado, faz parte de uma campanha decorativa executada a partir de 1796 por encomenda do príncipe regente D. João (futuro rei D. João VI). O pintor inspirou-se no quadro de Domenichino, intitulado "Caçada de Diana", existente na Galeria Borghese, em Roma.

 

 

 

Ainda num dos corredores que dão para os quartos reais, é possível observar dois quadros com a história de D. Luís e D. Maria Pia; e D. Fernando II e D. Maria II. Em ambos os textos, há uma referência ao gosto particular destes reis na caça maior. Infelizmente as fotografias não têm muita qualidade e não nos deixam ler isso mesmo.

 

Uma visita que todos os caçadores e demais devem fazer. Vão-se encantar! E vale mesmo a pena.

ML.