Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Prevenção: a palavra que poderia ter feito a diferença!

Perderam-se vidas. Perderam-se muitas vidas! E agora chegam as lamentações, as ajudas e a preocupação. Mas para estas pessoas, que perderam as vidas, que perderam familiares, ou que viveram todo este inferno; isso só não chega! Não pode chegar... 

 

Não podemos permitir que, num mundo tão desenvolvido como aquele que temos, aconteçam coisas destas. Certamente que a "Mãe Natureza" é quem manda, no entanto, creio que aqui a "Mãe Natureza" não teve outra opção. E porquê? Porque ninguém se lembra de algo muito importante: a prevenção! A prevenção que poderia ter evitado muita coisa... Mas não vamos falar de como poderia ter sido. Vamos falar sim de como poderá ser daqui para a frente...

 

É certo que as culpas irão ser atribuidas a alguém. Já se falou que foi a tempestade. Agora já se percebeu que o fogo começou antes da tempestade. O que será que aconteceu na verdade? 

E será isso o mais importante, para aquelas pessoas que perderam as suas vidas? Imaginam o sofrimento brutal pelo qual passaram? O medo, a angústia, o desespero... Não quero acreditar que isto tenha sido verdade, porque é demasiado doloroso. Vidas humanas perdidas. Vidas de animais perdidas. Uma floresta despida, onde só ficam os restos de dias de terror!

 

Dias de terror estes que talvez pudessem ser evitados se houvesse prevenção. Mas, como disse, vamos falar daqui para a frente. Portanto, comecem a prevenir agora, enquanto é tempo! 

Como?

O eucalipto tornou-se uma espécie dominante no nosso país, substituindo o sobreiro (espécies esta que desenvolveu uma capa - a cortiça - contra os fogos). Os especialistas afirmam que, com este ordenamento do território, divisão da propriedade, monocultura de eucalipto e pinheiro sem espécies tampão e despovoamente agrícola, os incêndios continuarão a existir e a fazer muitos estragos.

Mas, para além disto, deveria haver uma limpeza dos terrenos. Esta nova geração pouco se preocupa com isso; primeiro porque não fazem ideia do que deve ser feito e depois porque há coisas mais importantes com que se preocuparem e investirem o dinheiro. 

Engraçado, que ontem, num programa da RTP, um técnico da proteção civil dizia "nas zonas onde há Associações de Caçadores é mais difícil haver um incêndio (...)". E porque será?

Porque os caçadores ainda conseguem fazer a limpeza dos terrenos, ainda têm essa disponibilidade (sem que ninguém lhes pague, é certo). Fazem-no porque cuidam da natureza. Fazem-no porque cuidam dos animais. 

 

Então, meus caros, apostem na prevenção. Arregassem as mangas e façam alguma coisa de útil! Chega de boas palavras e discursos maravilhosos, pois as pessoas precisam de ação! De quem as ajude! De quem acabe com isto de uma vez por todas. 

Este ano apenas 38 pessoas se inscreveram em engenharia florestal. 

 

As novas crianças e os novos adolescentes, futuros adultos de amanhã, já não querem saber do campo e do mundo rural. As novas tecnologias ganharam! O mundo rural perdeu! Mas o mundo rural, ou a "Mãe Natureza" continuam a existir e por vezes relembram-nos disso, como é o caso deste incêndio que já destruiu 10.000 hectares (dos 12.000 mil que existem em Pedrógão Grande). 

Preocupemo-nos com o mundo rural e com a prevenção! Se poderia ter sido evitado? Talvez! Mas agora vamos focar-nos no que poderá ser evitado futuramente!

Menos palavras, menos "rabos sentados nas cadeiras" e mais ação!

ML.

 

Resultado de imagem para fogo pedrogao

 

Foto de Diário de uma Caçadora.