Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Receita de Galinhola com Puré de Batata

Hoje trago-vos uma receita de galinholas. Ainda há a ideia de que é um prato muito difícil de confecionar; mas não é bem assim.

Ora, como gosto sempre de apresentar a "vida" daquilo que andamos a comer; deixo-vos um bocadinho da história destas galinholas que jantamos há uns tempos!

 

 
O voo fantástico desta espécie cinegética migradora, que vive em liberdade.
Depois do trabalho dos nossos cães, eis que detetam a emanação e fazem uma paragem soberba. Aqui, e como em toda a cadeia alimentar, há a presa e o predador, tal como vemos na seguinte fotografia.
 
 
Quando a galinhola é caçada, o cão continua a fazer o seu trabalho; cobrando a peça com toda a alegria que tem e vindo entregá-la ao seu dono.
 
 
Ao chegar a casa, é tempo de depenar e arranjar toda a carne para, mais tarde, confecionarmos. Nenhuma peça de caça é desaproveitada e o melhor de tudo isto é o sabor que este prato tem para nós; alimenta-nos o estômago mas, acima de tudo, alimenta-nos a alma!
 
 
Ingredientes:
  • 8 galinholas
  • 6 colheres de sopa de banha;
  • 8 dl de vinho branco;
  • 4 dentes de alho;
  • 1 cebola pequena picada;
  • 6 ovos;
  • 6 chávenas de miolo de pão;
  • Sal e pimenta a gosto.

 

Confeção:

Depois de preparar as galinholas e limpá-las, temperem com sal e pimenta a gosto. Atenção: guarde as tripas das galinholas, pois vamos usá-las. Pode parti-las já em bocadinhos e lave-as bem.

Pique a cebola e os dentes de alho e coloque-os numa frigideira a refogar, juntamente com a 2 colheres de sopa de banha (guarde o resto para mais tarde). Quando o refugado estiver no ponto, junte as tripas cortadas em bocadinhos (depois de abertas e bem lavadas). Deixe cozinhar e tempere com sal e pimenta a gosto.

Depois de o refogado estar bem apurado, deixe arrefecer um pouco e, seguidamente, junte os ovos e o miolo de pão.

Agora, vamos rechear as galinholas com este preparado que tivemos a fazer.

É aconselhável que cosa as aberturas com agulha e linha para não perder o recheado.

Por fim, coloque as galinholas num tacho de barro com a banha que resta (4 colheres de sopa) e o vinho branco.

Tape o tacho e deixe cozer até estarem bem louras e o molho bem apurado.

Sirva com puré de batata e com uma salada de agrião bem temperada.

 

16976240_10155152221834455_431168959_n.jpg

16933568_10155152221699455_452771917_n.jpg

 

Este prato tem uma história. Uma história que vos tentei transmitir. Uma manhã de caça; uma manhã de cumplicidade entre cão e caçador. Além disso, é saber que podemos comer aquilo que caçamos. E, não menos importante, termos a oportunidade de fazê-lo com aqueles que mais gostamos: amigos e família!

 


Conseguem perceber porque é que a caça é tão mais complexa, magnífica e encantadora; do que apenas o "simples" acto de matar?

Bom apetite :)

ML.