Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

Diário de uma Caçadora

Para entenderem a minha loucura precisam, primeiro, de conhecer a minha paixão. Quero mostrar que a minha paixão é muito mais do que o simples acto de matar... Que a minha paixão é uma forma de estar na vida!

XXXII Monográfica Perdigueiro Português

Os meus fins de semana costumam ser recheados de animais, Natureza, amor, alegria... Este não foi exceção! Tinha acabado de escrever sobre a raça Perdigueiro Português e, simultaneamente, teria a Monográfica desta raça este fim de semana.

Uma Monográfica onde se pretende juntar o maior número de pessoas amantes da raça, incentivando à funcionalidade do perdigueiro português, aliando morfologia e trabalho. Por este motivo, foram realizadas provas de trabalho, provas de Santo Huberto, Derby, TAN e também a exposição de morfologia.

Uma monográfica só pode ser bem sucedida quando, primeiramente, há um amor pela raça. Isso foi bem patente, dado o número de cães inscritos - para terem uma noção: 75 cães em trabalho e 40 cães em morfologia. Depressa nos apercebemos que, se calhar, estamos no rumo certo... Espero eu! Esperamos todos nós... Espera, principalmente, o perdigueiro português!

 

Foi um fim de semana cansativo, onde apresentamos três cães no TAN (Teste de Aptidões Naturais) e todos ficaram aptos. O TAN é uma prova para cães de parar, até aos 24 meses, que pretende avaliar as qualidades naturais. Esta prova avalia três parâmetros: instinto de busca (espera-se que haja paixão e entusiasmo na busca), instinto de paragem (o cão tem de fazer uma paragem sobre uma peça de caça) e equilíbrio / caráter (o cão não pode ter medo dos tiros). Neste tipo de prova os cães ficam aptos (se reunirem todos os requisitos) ou não aptos (se houver alguma falha num destes parâmetros).

Simultaneamente a estas provas do TAN, decorriam duas séries de Classe Aberta.

 

O almoço, tão caraterístico desta Monofráfica, contou com um piquenique na Herdade dos Nabos (o Engº disponibilizou-nos a sua casa), onde todos dão e todos recebem. O convívio depressa se instalou e a troca de ideias e conhecimentos também. 

Todos estavam felizes, com melhores ou piores prestações dos cães mas, no fundo, o que importa é participar, mostrar o que é nosso e o que de melhor temos e fazemos.

 

A tarde foi contemplada com a exposição de morfologia. Vários cães passaram em ringue, em várias classes, desde bebés a veteranos. 

Nós apresentamos 7 cães do Canil de Torres e obtivemos as seguintes classificações:

Edmundo de Torres (Classe Juniores) - Excelente 1º

César de Torres (Classe Campeões) - 2º Lugar

Uíge de Torres (Classe de Veteranos) - 1º Lugar

Enxara de Torres (Classe de Juniores) - 1º Lugar; Melhor Fêmea da Monográfica do Perdigueiro Português

Europa de Torres (Classe de Juniores) - Excelente 3º Lugar

Braga de Torres (Classe de Campeões) - 2º Lugar

Vitória de Torres (Classe de Veteranos) - 1º Lugar; Melhor Veterano da Monográfica do Perdigueiro Português

César de Torres e Braga de Torres (Classe de Pares - 1º Lugar; Melhor Par da Monográfica do Perdigueiro Português

Melhor Proprietário: Canil de Torres - Troféu Armando Correia 

 

No Domingo, a APP (Associação do Perdigueiro Português) convidou-me para julgar a Prova de Santo Huberto. Agarrei este convite com toda a felicidade, dada a ligação que tenho com a raça e a importância que a mesma tem para mim. 

Um dia com muito frio e muita chuva (que teimava em não querer parar)... Mas, mesmo assim, um dia repleto de coisas boas! Foi uma manhã muito divertida e, simultaneamente, muito didática... Tenho de agradecer ao João Lisa pela companhia e por tudo o que me ensinou... Uma das coisas que mais gosto neste mundo é que, todos os dias, aprendo novas coisas e, principalmente, tenho a humildade de as querer aprender com aqueles que mais sabem... Nós caçadores ou, simplesmente, seres humanos, temos sempre a aprender... Sempre! Só basta estarmos disponíveis para tal...

Quero também agradecer ao Zé e ao Martinho por nos terem ajudado na colocação das perdizes. Já o fiz ontem publicamente, enquanto divulgava os resultados, mas fá-lo-ei também por aqui. Algumas pessoas não compreendem a importância que os postores de perdizes têm e é de ressalvar sempre que possível. Obrigada! Obrigada por andarem de baixo de chuva torrencial, para trás e para a frente, simplesmente para ajudarem!

Obrigada também a todos os participantes, pois sem eles e sem o seu amor por esta grande raça, nada disto teria sido possível. São a peça fundamental deste "jogo". São eles que, todos os dias, cuidam dos seus cães, alimentam-nos, treinam-nos (muitas vezes têm de fazer kms e kms até o campo de treino mais próximo), gastam horas do seu dia, horas que poderiam estar com a família, horas que poderiam estar a descansar... Enfim! O amor pelos cães e pela caça fala mais alto... Por isso digo sempre "a caça é uma forma de estar na vida".

Parabéns a todos os concorrentes, desde o primeiro ao último lugar! Fico contente que todos tenham tido oportunidade, na prova. E espero que todos se tenham divertido e aproveitado aquele bocadinho connosco.

Agradecer ao meu tio, Jorge Rodrigues, por tudo. Por ser o melhor criador de perdigueiros portugueses, por fazer um trabalho de desenvolvimento e divulgação da raça e por nunca ter desistido, embora o caminho nem sempre seja o mais fácil. Obrigada por me permitires acompanhar-te, com os cães maravilhosos que tens!

Por fim, e não menos importante, agradecer à APP o trabalho que tem feito (também tive oportunidade de o fazer publicamente), nomeadamente, na divulgação da raça. Vieram pessoas da Holanda, Suécia e República Checa para verem este nosso património nacional. Agradecer o convite que me foi feito. E em especial ao Marques Pereira, por todo o seu trabalho e por tudo o que me ensina!

Agradecer a todos por tudo... Um a um tiveram e têm um papel fulcral... Pela monográfica, pelo convívio, pelas provas, pelo fim de semana, pelo trabalho todo, pelo perdigueiro português!

"Só não sabe, quem não tem... Ou quem não tenta sequer ter..."

ML.

Uma apaixonada do Perdigueiro!

 

12985628_1249698535057938_7192648188802088785_n.jp

13001249_1249699941724464_4042066566627249832_n.jp

13001321_1249700548391070_8211337175345775473_n.jp

13000271_1249701001724358_5894214451982222524_n.jp

13006708_1249700858391039_2447883916220151455_n.jp

 

                       2016-04-11 15.52.16.jpg2016-04-11 15.52.01.jpg

2016-04-11 15.53.01.jpg