Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma Caçadora

Diário de uma Caçadora

Bruxelas avisa: é preciso comer coelho!

Está a decorrer uma campanha, na União Europeia, para incentivar o consumo de carne de coelho na península ibérica, até 2020.

 

O consumo de carne de coelho caiu 16% em pouco mais de 10 anos, na península ibérica. Mas porquê?

Segundo o Diário de Notícias, a Associação Portuguesa de Cunicultura (ASPOC) diz que "este declínio resulta exclusivamente de uma quebra constante do consumo de carne de coelho que o setor não tem conseguido contrariar. Estamos pela primeira vez a apoiar o consumo de uma carne, com o objetivo de re-introduzir a carne de caça na dieta mediterrânica, por ser branca e ter excelentes propriedades nutricionais". 

Por este motivo foi criada a campanha para promover o consumo de carne de coelho em Portugal e Espanha durante 3 anos, com um financiamento de 4.819.859,08€ - dos quais 1.043.068,36€ vão ser aplicados em Portugal e os restantes 3.770.903,05€ em Espanha.

 

"Esperamos um impacto substancial em termos das preferências do consumidor. Não queremos que se substituta o consumo de outras carnes, mas sim que se encontre espaço para uma carne de excelente qualidade", considerou a ASPOC.

 

Fonte: Diário de Notícias

 

image.jpg

 

Presidente da Associação Zoófila Portuguesa acusada de abuso de confiança

Ana Fernandes, a presidente demissionária da Associação Zoófila Portuguesa (AZP) é acusada de utilizar a associação para proveito próprio, através de serviços prestados por uma empresa que está em seu nome.

 

"A presidente demissionária da AZP é acusada de utilizar a associação para proveito próprio, através de serviços prestados por uma empresa que está em seu nome.

Os órgãos sociais e os membros da anterior e da atual direção da Associação Zoófila Portuguesa (AZP) estão em guerra. A presidente demissionária da associação, Ana Fernandes, é acusada por vários membros e funcionários de realizar “negócios consigo própria”, tendo sido alvo de uma queixa-crime por abuso de confiança, feita pela atual presidente do Conselho Fiscal (CF), Luísa Coelho.

A informação avançada pelo Diário de Notícias revela que estão em causa irregularidades imputadas à deputada municipal do PAN de Odivelas, especialmente o facto de esta ter registada em seu nome uma empresa que prestou e cobrou serviços à AZP, quando a associação criou, em 2014, um hospital veterinário que terá custado 150 mil euros. Segundo o Conselho Fiscal, a Izumix, a empresa que está registada em nome de Ana Fernandes,  recebeu mais de 25 mil euros em pagamentos — 11 mil relativos ao “acompanhamento” da construção do hospital e o restante como retribuição de serviços que o CF considera não clarificados.

Quando Raquel Leite, uma sócia e ex-membro da direção, exigiu respostas sobre a empresa e a sua relação com a associação, foi convocada uma assembleia geral extraordinária. Luísa Coelho acusou Ana Fernandes de “fazer negócios consigo mesma”, de utilizar o dinheiro da associação e não entregar nenhuma documentação ao CF e de ser incoerente na justificação dos pagamentos à sua empresa.

Em resposta ao DN, a presidente demissionária desde o dia 20 de junho afirmou que as decisões foram sempre tomadas com autorização da direção e lembrou que as contas sempre foram aprovadas pelo CF. Ana Fernandes negou ainda a cobrança de serviços por parte da sua empresa à AZP e disse que os órgãos sociais sempre souberam da sua relação com a empresa.

Entre outras irregularidades estarão também a compra de um telemóvel por 843€ sem decisão colegial prévia e a aquisição de mais de 3000€ em ração fora de prazo da marca de que a empresa de Ana Fernandes detinha a representação.

A Associação Zoófila Portuguesa tem como objetivo “promover a proteção de todos os animais” e conta atualmente com cerca de 17 mil sócios. A antiga direção caiu quando todos os membros se demitiram, em fevereiro/março, invocando “questões inultrapassáveis relacionadas com a gestão da presidente da direção”. O hospital veterinário possuido pela AZP fatura quase um milhão de euros por ano e é constituido por 30 funcionários."

 

Texto retirado na íntegra da fonte: Observador

 

78805a221a988e79ef3f42d7c5bfd418-1.jpg

Os segredos da adaptação das lebres às alterações climáticas

Num artigo publicado na revista Science, "Adaptive introgression underlies polymorphic seasonal camouflage in snowshoe hares", uma equipa científica internacional, revelou que a lebre americana consegue manter a camuflagem todo o ano, mudando ou não a cor da pelagem sazonalmente.

 

O estudo demonstra que a incorporação de variantes genéticos de outra espécie de lebre leva a que alguns indivíduos não mudem de cor, o que poderá ter implicações na capacidade da lebre americana sobreviver às alterações climáticas.

São conhecidas pelo menos vinte e uma espécies que mudam a cor da sua pelagem ou plumagem de castanha no verão para branca no inverno. Esta aptidão permite aos indivíduos camuflarem-se na neve, diminuindo a probabilidade de serem predados. A lebre-americana é uma dessas espécies, mas as populações da região costeira do Noroeste Pacífico do continente Norte Americano permanecem castanha todo o ano. Esta observação levou uma equipa de investigadores a levantar a questão “O que explica que algumas populações mantenham a cor castanha no Inverno?“.

 

O estudo teve a participação de sete instituições diferentes, onde conseguiram analisar o genoma completo das lebres americanas em populações do Noroeste Pacífico, onde indivíduos brancos e castanhos coexistem no Inverno.

Concluiu-se que as diferenças de cor no Inverno são determinadas por variação genética que interfere na regulação do gene Agouti, um gene envolvido na pigmentação e que está ativo na muda de pelo no Outono, quando os dias começam a ficar mais curtos.

 

Paulo Alves, investigador deste estudo, em declarações à Notícias Universidade do Porto, diz que “uma descoberta notável foi que a informação genética responsável pela cor castanha durante o Inverno, na lebre americana, foi introduzida nesta espécie através do cruzamento com a lebre de- cauda-negra, que permanece castanha todo o ano”. Este processo, intitulado introgressão, permitiu a adaptação a um ambiente com menos neve sazonal, através da manutenção da camuflagem.

 

Segundo José-Melo Ferreira, outro investigador, “enquanto que a muda para branco é ativada pela duração do dia, que não será alterada, a eficiência da camuflagem depende da cobertura de neve, que está a diminuir”. A chegada tardia dos Invernos e o degelo antecipado, resultantes das alterações climáticas, poderão ter impacto na sobrevivência dos animais que mudam sazonalmente de cor.

José Melo-Ferreira conclui, dizendo “se a existência de variação de cor no inverno foi um mecanismo importante para a persistência da espécie em ambientes com neve sazonal mais efémera, será seguramente fundamental para a adaptação rápida desta e de outras espécies às alterações climáticas em curso”.

 

Fonte: Notícias Universidade do Porto

 

1205884.jpg

 

Caçadores doam 2000€ aos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere

Já passaram 2 dias e ainda fico com os olhos em lágrimas cada vez que penso no que aconteceu naquele sábado, dia 23 de junho. Mas talvez seja sempre assim, durante muito tempo! Talvez as lágrimas caiam cada vez que pensar na bondade e no carinho demonstrados na Prova de Santo Huberto de Beneficência aos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere. 

 

Tenho tanto para dizer, para agradecer, para vos conseguir demonstrar um bocadinho daquilo que ali foi vivido, mas é difícil começar por algum lado. Não sei porquê, mas sinto que este irá ser um dos artigos que mais dificuldade me trará. Primeiro, porque quero fazê-lo de forma tão perfeita que é impossível, pois a perfeição não existe. E depois devido ao sentimento que existe. Foi um dia mesmo maravilhoso, sabem... Sorte a nossa que pudemos estar ali presentes!

 

Esta ideia surge na sequência dos outros dois eventos realizados anteriormente, a Prova de Beneficência à APACA e a Prova de Beneficência à CERCIMOR. Este ano o destino escolhido foi Alvaiázere por duas razões muito simples: pelas provas que são organizadas naquela cidade (para mim uma das melhores organizações feitas) e pela situação que os Bombeiros viveram em 2017 (e não só), principalmente naquela zona - Pedrógão Grande, Ansião, Castanheira de Pera, etc.

Escolhido o sítio, foi hora de expor esta ideia ao João Simões, o grande impulsionador destas provas, em Alvaiázere. A resposta foi elaborada sem sequer pensar no trabalho que poderia ter ou se seria, efetivamente, plausível de ser feita. "Mafalda, vamos a isso, conta comigo para tudo o que precisares". Claramente que não fui eu que contei com ele, ele é que contou comigo para aquilo que precisou em toda a organização que fez.

 

Com este dia a aproximar-se, as horas de sono ficaram reduzidas e a ansiedade começou a aumentar, e a aumentar... Todos os dias ia falando com o João, íamos pensando na melhor forma de cativar as pessoas, de conseguir ajudar (ainda) mais, e em todos os pormenores para que nada falhasse... Na sexta feira, rumamos até Alvaiázere, ainda a tempo de ir ver os terrenos com o João e escolher a melhor forma para que as coisas decorressem o mais rápido possível. Por volta das 20h00 recebo um telefonema de 2 juízes a dizerem que não poderiam ir à prova. Tínhamos 7 séries, com 7 juízes e, naquele momento, parece que o mundo desabou. Fiquei sem saber o que fazer. O que vale é que tenho as pessoas mais fantásticas do mundo a meu redor e conseguiram tranquilizar-me logo. "Só não há solução para a morte", disse-me o meu pai. Assim sendo, as séries teriam de ficar com mais concorrentes e eu iria julgar a série de iniciados, que tinha menos conjuntos e, dessa forma, conseguiria despachar-me mais cedo, para poder organizar tudo o que fosse necessário.

Depois de toda esta azáfama, ainda fomos jantar a casa do João, um belo jantar preparado pela Mónica (a sua mulher) e delineamos os últimos pormenores para o dia seguinte. Eles receberam-nos em sua casa de uma forma... Que nem consigo descrever!

 

Às 6 da manhã o despertador tocou. Confesso que dormi muito pouco, pois a ansiedade batia à porta de 1 em 1 hora... Enquanto o João foi colocar placas no terreno, que indicavam os números das séries, eu e o Zé fomos para o café onde seria feita a concentração. O objetivo primordial era que tudo decorresse rapidamente, para começarmos as provas o mais cedo possível, pois o calor que se iria fazer era muito. O pequeno almoço estava marcado para as 07h00 e às 08h00 estávamos a sair para os terrenos. O sorteio foi feito no campo, com a ajuda preciosa da Sandra. A concentração era feita num único sítio e os concorrentes dirigiam-se posteriormente para os seus campos, que eram perto e de fácil acesso. Creio que tudo correu bem. Não tive oportunidade de ajudar neste âmbito, mas bem sei que todos estavam preocupados com toda a orgânica, desde o João, o Serginho, o Rui Jesus, o Carlos (guarda), o Pedro... Todos foram incansáveis!

Estiveram presentes 63 conjuntos, julgados pelo João Paula Bessa, José P. Leitão, Jorge Rodrigues, Paulo Filipe Sandra Esteves e Mafalda Leitão (Série dos Iniciados). Gostei particularmente de julgar esta série, pois conseguimos aprender sempre com estes novos concorrentes. O calor que se fazia sentir prejudicou algumas provas mas, na sua maioria, as coisas correram muito bem. Às 10h00 já tinha acabado o julgamento e "voei" para a Associação de Caçadores, onde iria ser feito o almoço, para organizar tudo o que ainda faltava. Ali, contei com a ajuda preciosa do Zé (para variar), do Carlos e da Ana Paula. 

 

Os Bombeiros começaram a chegar para ir organizando o almoço. O almoço foi oferecido, confecionado e servido pelos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere! Quando se vive para ajudar os outros, estas atitudes chegam de forma muito simples... Outros, foram para o terreno, com um bar para refrescar os concorrentes! O espírito e o companheirismo entre Bombeiros e participantes da prova foi maravilhoso.

IMG_1338.JPGProva de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Ainda consegui ir ver a Barrage e ajudar a julgar os concorrentes que ficaram em 1º lugar de cada série. Aqui tenho claramente de destacar o trabalho exímio dos juízes, postores e dos próprios concorrentes. Tanto trabalharam arduamente, que às 15h00 já estávamos a almoçar. As coisas correram muito bem nesse sentido, também.

Como o calor apertava, havia uma "piscina" para os nossos amigos de 4 patas. Pormenores pensados e realizados por alguém com uma sensibilidade apurada.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Servido um almoço 5 estrelas, com direito a sopa de chícharo, feijoada e uma salada de frutas deliciosa, era hora de começar a dar os resultados e a fazer todos os agradecimentos.

IMG_1336.JPGProva de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Mas, antes disso, todos quiseram ver como estava decorado o "cantinho dos agradecimentos".

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

36064201_1674204052692364_3434926371585916928_n.jp

Eu já sabia que não iria conseguir dizer grande coisa. Fico demasiada emocionada nestes dias para sequer pensar (quanto mais falar) e, também por isso, decidi fazer um vídeo para homenagear os Bombeiros e os Caçadores ali presentes. Entre muitas lágrimas e respirações mais ofegantes, o final fez-me ter a certeza de que valeu (e valerá) sempre a pena.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 Deixo aqui o link para verem o filme na íntegra.

 

O Comandante dos Bombeiros, o Tony, quis dizer umas palavras para todos os presentes, em que o Obrigada foi o que mais se destacou. Referiu o trabalho árduo que têm, muitas vezes tão pouco valorizado pelos outros e disse que, depois de tanta emoção vivida neste dia, só poderia agradecer este ato, que vale muito mais do que as conversas de facebook... Eu ia pensando na melhor forma de conter as lágrimas, quando o Tony pegou numa peça lindíssima em madeira para me oferecer, realçando todo o trabalho que tive. Nem queria acreditar, nem consegui dizer mais nada... Quem não me conhecesse, devia achar que tinha sérias dificuldades em articular um discurso, ou somente algumas palavras. Mas foi mesmo difícil. Eu, nós, é que temos de agradecer-lhes. O que nós fizemos não foi nada, comparado a tudo o que eles fazem diariamente.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Começamos a dar os resultados, e houve uma oportunidade de oferecer um miminho a todos os concorrentes, uns doces, uma entrada gratuita para o Museu de Caça de Vila Viçosa e uma coleira para os cães.

Os prémios eram tantos, graças à generosidade dos nossos patrocinadores, que nem sabia bem o que fazer. Mais abaixo, descreverei todos os prémios que havia, assim como todas as entidades.

Os juízes deram os resultados de cada série e fizeram os devidos agradecimentos, principalmente ao trabalho árduo de cada um dos postores. Os resultados de cada série ficaram assim ordenados:

36199705_10155411447115685_840247984242294784_n.jp

35118967_10155411447065685_5267535543230529536_n.j

35990184_10155411447025685_4376576656786063360_n.j

Depois da barrage, a classificação final foi:

7º Lugar - Rui Bonito, com BAM - (como havia prémios para 7 concorrentes porque, supostamente, haveria 7 séries; decidiu-se oferecer o 7º lugar ao melhor 2º lugar de todas as séries). Entregou o prémio (troféu) o meu pai.

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

6º Lugar - Alexandre Magalhães, com BAM. Entregou o prémio (troféu + camisola) a Sandra.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

5º Lugar - Vítor Abreu, com BAF. Entregou o prémio (troféu + camisola + boné) o Zé.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

  

4º Lugar - João Pereira, com BAM. Entregou o prémio (troféu + boné + colete da Hart) o Presidente da Associação Juvenil, Sérgio Rodrigues.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

3º Lugar - David Faria, com SIM. Entregou o prémio (troféu + colete de caça + camisola) o Rui Jesus.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

  

 2º Lugar - André Costa, com BAF. Entregou o prémio (troféu + camisola + uma noite para 4 pessoas num hotel rural) o João Simões.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

1º Lugar - César Sousa, com EBM. Entregou o prémio (troféu + espingarda Amster) o Presidente dos Bombeiros Voluntários, eu, o meu pai, o Zé, o João e todos aqueles que estavam presentes.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Houve um troféu para o melhor cão, oferecido pelo Jorge Piçarra e entregue pelo João Gil. Os melhores cães foram o Imperador do Monte Pereira, do João Pereira, com 25 pontos, assim como o Genuíno da Missilva, do Correia da Silva, com 25 pontos. Em caso de empate, a raça portuguesa domina e, neste caso, o perdigueiro do Correia da Silva ficou eleito como o Melhor Cão da Prova. Mas, ainda assim, também o cão do João Pereira teve direito a um prémio.

 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

O Rui Bonito quis oferecer um troféu ao concorrente mais jovem do Santo Huberto e, nesse caso, quem o recebeu com muito orgulho, foi a Sílvia.

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Foi feito um leilão de umas botas Chiruca, assim como de uma caixa de 250 cartuchos. O Vítor Abreu e o meu pai ficaram com cada uma das coisas, respetivamente. Obrigada!

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Oferecemos prémios a todos os juízes e postores e a todos aqueles que ajudaram, o Zé, a Sandra, o Rui Jesus, o Pedro, o Serginho e o Comandante dos Bombeiros.

E tive ainda a oportunidade de oferecer um dos prémios mais especiais do dia de hoje e, para mim, um dos grandes prémios da prova: um colete da Hart (UCV). Esperando que ninguém ficasse ofendido e levasse a mal esta minha decisão, decidi entregar ao Homem que tanto fez e tanto me ajudou: ao João Simões. As palavras faltam-me para falar sobre ti, sobre a generosidade que tens no teu coração e sobre a boa pessoa que és. Mereces tudo de bom, obrigada por seres como és e por teres feito o que fizeste! Obrigada. E creio que o sentimento de grande amizade ficará para sempre connosco...

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Paralelamente a isto, também a Associação de Caçadores de Alaviázere, na pessoa do João Simões, Serginho, Fernando Neves, Marco Abreu e Rui Jesus, quiseram oferecer-me uma lembrança. Mais lágrimas a escorrer... A emoção era tanta, a felicidade era tanta, que creio que só nós que ali estivemos conseguimos vivenciá-lo a 100%. Obrigada a vocês pelo presente maravilhoso, um álbum para colocar as penas do pintor das galinholas. 

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

No final, foram doados 2000€ aos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere que não tinham palavras para agradecer tudo o que havia acontecido ali.

IMG_1400-R.jpg

 

OBRIGADA minha Família de Caçadores! Vocês são os maiores! E agora, desculpem-me, mas terei que agradecer um a um. Vocês merecem!

Prova de beneficência a favor dos BV de Alvaiáze

 

Agradecimentos:

Tinha que fazê-lo. As pessoas têm de conhecer quem está por trás destas provas e estes nomes têm de ficar registados, sobretudo, pela bondade que apresentam.

 

OBRIGADA JOÃO SIMÕES! Creio que já disse tudo aquilo que conseguia dizer, no texto em cima.

OBRIGADA ZÉ! És o meu alicerce e tenho a certeza de que se não existisses nada disto aconteceria. És tu que me apoias incondicionalmente em tudo, que me dás força para fazer mais e melhor e que estás sempre alerta a todos os pormenores que me passam ao lado.

OBRIGADA PAI! És o meu pai, e isso basta... Se não fosses tu, não sei quem iria apresentar toda esta dinâmica e mandar chamar ou calar quando é preciso. 

OBRIGADA TIO! Foi muito importante para mim ter-te a meu lado neste dia.

OBRIGADA SANDRA! Bem sei o quão difícil deve ter sido manusear toda a logística da manhã, mas não deste o braço a torcer, parabéns! E obrigada por estares sempre disponível para o que eu preciso.

OBRIGADA BESSA! Bem sei a dificuldade que tem em andar, ainda por cima depois de se ter magoado, mas não desistiu e julgar 12 concorrentes foi "peanuts". 

OBRIGADA PAULO FILIPE! És um grande amigo, não tenho nada mais a dizer.

OBRIGADA PAULA! Por estares também sempre presente nestes eventos e ajudares em tudo aquilo que é preciso.

OBRIGADA SANDRA ESTEVES! Bem sei o quão difícil foi vires mas, ainda assim, não desististe e vieste. És uma grande mulher!

OBRIGADA SÉRGIO FERNANDES! Por tudo aquilo que representas nestas provas, pela ajuda toda que deste, pela tua boa disposição e, pelo momento maravilhoso que partilhamos em campo os dois, emocionados, a ver o Brown.

OBRIGADA ANTÓNIO MATIAS! Olhando para si, nunca diria que já passou por tanto. Certamente só os grandes homens conseguem continuar a viver nessas situações e o Matias é um exemplo disso.

OBRIGADA MARCO ABREU! Conheci-te neste dia, poucas palavras, mas grandes atitudes Marco, principalmente por todo o apoio que deste e pela alegria que proporcionaste ao teu tio, ao treinares aquela maravilhosa cachorra de 11 meses. Ele estava muito orgulhoso de ti.

OBRIGADA PAULO FERNANDES! Por estar sempre presente e por ter tido a amabilidade de levar caixas de fruta para todos.

OBRIGADA DAVID FARIA! O concorrente mais velho do Santo Huberto que comprova a tudo e todos que a idade é um mero pormenor. Quando chegar à sua idade, quero ser assim...

OBRIGADA TIAGO GARCIA! Por teres ido e levado contigo mais pessoas, com o intuito de ajudar. É sempre muito bom saber que há pessoas como tu que amam os cães de parar e, ao mesmo tempo, a solidariedade...

OBRIGADA RUI BONITO! Tanto que tenho de te agradecer também, por toda a ajuda que me dás sempre e por toda a disponibilidade que tens comigo. És uma referência para muitos, acredita. E obrigada pela tua contribuição em todas as provas, este ano um prémio para o concorrente mais jovem.

OBRIGADA JOÃO GIL! És o meu grande amigo, tu sabes disso... Nem tenho mais palavras para te dizer, a nossa amizade é o reflexo disso mesmo.

OBRIGADA CARLOS LOPES! Está sempre presente nestes eventos e muito agradeço por isso. É também um grande homem no mundo dos cães de parar, e um exemplo a seguir.

OBRIGADA GODINHO! Não participa em mais nenhuma prova, mas quando sabe que é de solidariedade, é o primeiro a estar presente!

OBRIGADA CORREIA DA SILVA! Uma referência no mundo dos cães de parar, pelo trabalho árduo que faz todos os dias. Mais outro companheiro que sei que posso sempre contar nestes eventos, tenha que fazer os quilómetros que tiver...

OBRIGADA LUÍS DELGADO! Se há pessoa que nem preciso de perguntar se vai, és tu Luís. És um lutador, e sei que fazes sempre o teu melhor para conseguires. Nunca te esqueças que sem nervos podes chegar onde quiseres.

OBRIGADA NUNO SANTOS! Julguei a tua primeira prova e emocionamo-nos todos. Desde aí que tu e a Goreti têm um lugar especial no meu coração e tenho a certeza que irás continuar a crescer no mundo das provas. "Step by step"...

OBRIGADA ROBERTO SILVA! Um homem dedicado aos perdigueiros é sempre um bom homem. Este ano conseguiste vir à prova e agradeço-te muito por isso mesmo!

OBRIGADA RUI VAZ! Meu querido Rui vaz, vires de Bragança de propósito... Muito te agradeço, bem sabes o quanto gostei de te ter nesta prova... És um bom homem!

OBRIGADA ALEXANDRE MAGALHÃES! És um daqueles concorrentes que está sempre em todas, com cães top. E nunca me esquecerei da felicidade que me proporcionas-te quando me deste o meu primeiro cão de parar. Obrigada Xanduca.

OBRIGADA CARLOS PAIVA! Com o seu ar discreto, com um olhar sempre meigo e com uma adoração como poucos têm aos seus cães. É bom saber que existem caçadores assim...

OBRIGADA FERNANDO NEVES! Uma cara já bem conhecida do Santo Huberto e com uma importância já muito grande. Obrigada pelo trabalho que tens desenvolvido e pela tua presença assídua.

OBRIGADA MARCO ALCOBIA! Fiquei muito contente por saber que existem outros concorrentes de Santo Huberto que têm interesse nas provas de solidariedade. Obrigada Marco por poder ter contado com a tua presença.

OBRIGADA CARLOS MOREIRA! Vem poucas vezes, mas quando vem é animação garantida. Muito obrigada por ter vindo a esta prova, é sempre uma honra poder contar consigo.

OBRIGADA PAULO GARRIDO! Conheci o Paulo este ano na monográfica do perdigueiro português. Como vi que tinha feito Santo Huberto, convidei-o para a prova. Prontamente o Paulo aceitou o convite e juntou-se a esta família. Fico muito contente que tenha gostado e o seu cantinho já está reservado.

OBRIGADA JOSÉ SILVA! Uma mítica e especial pessoa do mundo das Provas de Santo Huberto. Sempre preocupado em que tudo corra bem, um homem que nunca vi reclamar de nada, nem com ninguém. Obrigada.

OBRIGADA FERNANDO HENRIQUES! Calmo e discreto, mas divertido a 100%. É assim que te vejo Fernando e és outro daqueles que sei que posso contar sempre, obrigada.

OBRIGADA MARCOLINO PEDRO! Tenho um carinho especial por si, não só por tudo aquilo que a vida já lhe aprontou, mas principalmente pela forma como se levanta e enfrenta tudo e todos. Parabéns e a vida ainda lhe vai sorrir muito.

OBRIGADA VALTER FERREIRA! O homem que tem a família mais maravilhosa. Uma mulher linda, e umas filhas que parecem umas bonecas mas, acima de tudo, obrigada também pela educação maravilhosa que lhes dás. Obrigada por teres levado todas elas contigo a este dia, para transmitires o amor pela caça e animais.

OBRIGADA ALBERTO HENRIQUES! Sempre muito calmo, mas sempre atento a tudo. Com uma paixão avassaladora pelos cães de parar, o Alberto é um exemplo a seguir neste mundo.

OBRIGADA JOÃO PEREIRA! Meu querido João, outro amigo que está sempre no meu coração... Obrigada por tudo, sei que posso sempre contar contigo, assim como tu comigo. Obrigada por seres meu amigo!

OBRIGADA JOÃO SIMÕES (Coimbra)! Acho que tens uma motivação e uma paixão incríveis que te movem neste mundo. Aliado a isso, tens uma filha maravilhosa que, estou certa, tem o maior orgulho no pai que tem. E fará de tudo para ser igual a ti.

OBRIGADA CÉSAR SOUSA! Deves ser a pessoa que mais calma me transmite neste mundo, mesmo quando as tuas mãos tremem em prova. Tens esse dom, de conseguir transmitir essa calma num momento de maior aflição. Continua César, porque vais chegar muito longe, estou certa. Talvez esse seja o teu segredo para lidar com os cães de parar.

OBRIGADA LUÍS AREDE! Quando convidei o Luís, que apenas tinha feito 2 provas de Santo Huberto, queria que ele tomasse conhecimento de toda a dinâmica de uma prova de beneficência. E vi-o do início ao fim sempre com um sorriso na cara, ao lado da sua namorada linda. Obrigada por terem vindo e por fazerem parte desta família!

OBRIGADA LUÍS FIGUEIREDO! Sempre com alguma crítica construtiva a fazer, com o Luís tenho aprendido várias coisas. Agradeço que tenha vindo e espero contar sempre consigo noutros eventos, porque o Luís tem um dom para fazer Santo Huberto.

OBRIGADA RICARDO FREITAS! Meu amigo madeirense, um obrigada gigante por vir da Madeira até Alvaiázere e juntar-se a nós neste dia tão especial. Estou certa de que a prova ganhou um brilho ainda maior...

OBRIGADA PEDRO FIGUEIREDO! Dois dias antes o Pedro perguntou-me se ainda se podia inscrever na prova. Só depois percebi que comprou uma viagem de Londres para Portugal, para poder estar presente. Esta atitude é louvável e demonstra bem o coração que o Pedro tem. 

OBRIGADA ANDRÉ COSTA! Outra das figuras míticas do Santo Huberto, trabalha todos os dias para ser melhor e os resultados estão à vista. Obrigada André, és também já uma referência neste mundo.

OBRIGADA SÍLVIA MOREIRA! Tanto te chateei que acabaste por vir e isso deixou-me muito feliz, principalmente pela prova emocionante que fizeste. Agora é continuar... 

OBRIGADA VÍTOR ABREU! Quando nos julgamos uma série de iniciados estamos sempre com as expetativas menos elevadas, o que é normal. Mas o Vítor é a sua cachorra vieram contrariar isso. Uma prova fantástica e um conjunto muito equilibrado.

OBRIGADA AMÉRICO MENDES! Pela coragem que teve e pelo coração grande que demonstrou. 

OBRIGADA LUIS FILIPE! Tive tanta pena que não encontrasse nenhuma perdiz, mas estou certa que foi um dia em cheio para si. Muitos parabéns por ter participado. Continue. . 

OBRIGADA JOÃO GUERREIRO! Os nervos por vezes dão cabo de nós. . Mas ainda assim conseguimos e levar-nos e ter a humildade de o aceitar. Parabéns João, espero ver-te mais vezes. 

OBRIGADA JOÃO MARQUES! És super divertido e vieste animar (ainda mais) o nosso campo. Obrigada e continua assim, parabéns! 

 

OBRIGADA HILÁRIO! És o postor mais divertido do Santo Huberto, e as provas contigo passam num ápice... Obrigada por estares sempre presente.

OBRIGADA FREDY! Calmo, discreto, mas com uma sabedoria inata. Já sabes de "cor e salteado" o que fazer e como fazer. E um obrigada por poder sempre contar contigo.

OBRIGADA MARCO! Temos sempre grandes conversas durante as provas. Obrigada Marco por estares sempre disponível para ajudar e por teres um grande coração.

OBRIGADA DANIEL! A sorte que tiveste em ficar comigo nos Iniciados. Obrigada pelo trabalho fantástico e obrigada pelas maravilhosas histórias que me contaste a mim e ao Zé. 

OBRIGADA ZÉ FERNANDO! Tive o prazer de o conhecer nesta prova e agradeço-lhe do fundo do coração toda a ajuda preciosa que nos deu. Não teria sido a mesma coisa sem si...

OBRIGADA JORGE SANTOS! Tal como disse ao Zé, estou certa de que se o Jorge não estivesse presente para ajudar, também nada teria sido igual. Obrigada pela ajuda tão preciosa e tão difícil que tiveram.

 

OBRIGADA CARLOS! Pela sua simpatia e por todo o trabalho que teve, obrigada pelas conversas e parabéns pelo trabalho que nos mostrou.

OBRIGADA RUI JESUS! Já tínhamos falado e vi logo que eras boa pessoa. Neste dia tive oportunidade de te conhecer pessoalmente e, aimda de tudo, oportunidade de ver a pessoa boa que és. Obrigada Rui, foi um gosto conhecer-te.

OBRIGADA AO PEDRO LOURENÇO! Por todo o trabalho que tiveste e por toda a ajudaste que deste, estou certa que teria sido bem mais difícil sem ti...

OBRIGADA ANA PAULA! Por toda a ajuda que me deste, pela tua prontificada disponibilidade a toda a hora e, também pelo contributo que dás sempre ano após ano. És uma grande pessoa, sem dúvida.

OBRIGADA ÀS COZINHEIRAS! Foram maravilhosas, desde a vossa simpatia extrema, até ao almoço delicioso que confecionaram. Parabéns!

 

OBRIGADA LOJA AMSTER! Podia ter começado por outro patrocínio qualquer, mas sem dúvida que a Loja Amster foi de uma amabilidade e disponibilidade incríveis. Não é que não esteja habituada, mas quando disse "João queria pedir-te uma coisa para a prova... Nem sei como dizer..." o João só me respondeu "Queres uma espingarda, não é?" Portanto, a forma como o João Pedroso e toda aquela gente que ali trabalha estão neste mundo reflete bem as pessoas que são e, por isso mesmo, também estão onde estão. Muito obrigada João, estou certa que fizeste a diferença nesta prova (para variar).

OBRIGADA UTILIDADES COSTA VERDE! Mas coloquei o cartaz da prova, o André foi uma das primeiras pessoas a dizer que ia ajudar e, dois dias depois, tinha-me enviado por correio todo o material para a prova. Três coletes e dois chapéus. Maravilhoso! Obrigada do fundo do meu coração André.

OBRIGADA CAÇITEL! O Filipe foi outro que, mal viu o cartaz, prontificou-se logo a ajudar. 3 camisolas + 6 pares de luvas. Fico tão mas tão agradecida que as palavras teimam em não sair. Obrigada!

OBRIGADA PERDIZES DA ABELHEIRA! Colaboram todos os anos connosco e obviamente tenho de fazer um agradecimento bem especial ao Orlando.

OBRIGADA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS CAÇADORES PORTUGUESES! Por todo o apoio que presta sempre nestas provas. É assim que as entidades da caça devem atuar...

OBRIGADA FUNDAÇÃO DA CASA DE BRAGANÇA! Pela oferta dos 50 bilhetes para o Museu de Caça de Vila Viçosa, foi um prémio que deliciou muitos concorrentes.

 

Entretanto o João também arranjou muitos patrocínios em Alvaiázere e, como é óbvio, não posso deixar de agradecer toda a ajuda que nos deram, foi única e maravilhosa.

OBRIGADA METALOSIMÃO! 

OBRIGADA JOSÉ GARCÊS CONSTRUÇÕES!

OBRIGADA CAFÉ QUINTINHA!

OBRIGADA STAND TOCAR!

OBRIGADA SOLDIERS TOMAR!

OBRIGADA CÂMARA MUNICIPAL DE ALVAIÁZERE!

OBRIGADA CEARA DO LAR! (Que trabalhos incríveis, não tenho mesmo palavras)

OBRIGADA PASTELARIA SORTE EM VIR AQUI! 

OBRIGADA FACHADAS TRAÇADAS!

OBRIGADA QUINTINHA DO CASAL RUIVO!

OBRIGADA ESPINGARDARIA TIRO E ANZOL!

OBRIGADA SERRALHARIA ARLINDO SANTOS!

OBRIGADA SOCIEDADE NACIONAL DE SINALIZAÇÃO VERTICAL, LDA.

Agradeço a todos vocês que contribuíram e estou certa de que tudo seria diferente se não tivessem estado hoje aqui connosco. Muito obrigada a todos e obrigada pelo coração maravilhoso que têm!

 

OBRIGADA ESPINGARDARIA BARBOSA! Aqui tenho de fazer um agradecimento especial ao Nuno Santos que constactou o seu armeiro para contribuir com uma ajuda para a prova que, prontamente, ofereceu 1 camisola.

 

OBRIGADA JORGE PIÇARRA! Mesmo não indo, quis logo ajudar monetariamente e, inclusive, oferecer o prémio para o melhor cão. Obrigada Jorge, foi muito importante para todos este seu gesto.

OBRIGADA HORÁCIO MANUEL! Sempre aquele que faça 300, 400 ou 500km está sempre lá e sempre a ajudar de uma forma maravilhosa. O Horácio não faz Santo Huberto, exceto a Prova de Beneficência e, logo aqui se vê, o coração gigante que tem. E, além disto, oferece sempre imensas coleiras para os cães feitas à mão por ele. Obrigada!

OBRIGADA RUI ALVES MONTEIRO! É difícil falar da bondade e disponibilidade que o Rui tem sempre comigo. É aquele que me imprime folhas e mais folhas, que vem ter comigo de propósito para me dar tudo aquilo que preciso. É uma das minhas ajudas número 1 destas provas e tive uma pena enorme que não pudesses estar este ano connosco mas, uma vez mais, ajudaste no que conseguiste.

OBRIGADA MARCO MATIAS! Uma das pessoas que, mesmo não indo à prova, contribui sempre, sempre. Obrigada do fundo do meu coração.

OBRIGADA RUI MOREIRA! O Rui é daqueles que também ajuda sempre e estou muito grata por se lembrar de nós. Para o ano queremos que se junte a todos.

OBRIGADA PEDRO CARVALHO! Este ano infelizmente não conseguiste estar presente mas isso não foi motivo para não ajudares. Muito obrigada Pedro e continua a ser a boa pessoa que és.

OBRIGADA JORGE SILVA! Um homem que muito estimo e prezo e que tem uma atitude que gosto particularmente neste mundo. Sempre o primeiro a querer ajudar, sempre o primeiro a fazer tudo para que os outros estejam bem. Obrigada Jorge por ajudar-nos sempre e por ser tão boa pessoa.

OBRIGADA FILIPE PEREIRA E EDUARDO PEREIRA! Tive muita pena que não pudessem estar presentes nesta prova, tenho a certeza que teriam gostado. Mas, ainda assim, não quiseram deixar de ajudar e muito vos agradeço por isso. Fico de coração cheio por saber que há pessoas como vocês! 

OBRIGADA CAMILO EURICO PRATES! Eu a pensar que era desta que nos iríamos conhecer, mas não. Estou certa de que será para o ano, e terei todo o gosto nisso. Muito obrigada pela ajuda que disponibliza sempre, é um bom homem seguramente.

 

OBRIGADA RICARDO CORREIA! Sem nada ter a ver com o santo huberto, sem sequer nos conhecermos pessoalmente, desde logo o Ricardo decidiu marcar presença e foi muito bom tê-lo presente, assim como a sua namorada. Obrigada pela vossa companhia. 

OBRIGADA MAURO SANTOS! Mesmo não fazendo santo huberto não deixaste de marcar presença e ajudar. Grande coração, obrigada! 

OBRIGADA A TODAS AS MULHERES PRESENTES! Estou certa de que se não fossem vocês, os vosso homens não seriam os mesmos. Obrigada por estarem presentes, dão outro ânimo e magia. 

 

Espero não me ter esquecido de ninguém... Se o fiz, as minhas sinceras desculpas!

O que levo desta prova?

Um coração mais apertado, mais carregado de felicidade!

E, sobretudo, uma ligação ainda mais forte ao ser humano que, quando quer, é simplesmente maravilhoso!

OBRIGADA A TODOS!

ML.

 

35296472_10155411139010685_4091836173490585600_n.j

 

 

Porque é que matas, em vez de caçares?

Hoje pensei em ti…

Em como podias fazer o que fazes…

Em como podias ser como és e transpores isso para a caça e para a sociedade atual!

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

É muito injusto, sabes? Mas eu sei que a vida é feita de injustiças. Eu sei disso, e talvez todos os que aqui andam também o saibam. Mas por uns não podem pagar os outros. E por causa de ti, nós pagamos todos. E isso é injusto, continuo a dizer. Todos temos a fama, mas certamente não temos o proveito (e ainda bem). Não gostava nada de ser como tu.

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

Não te importas com a natureza, não queres saber se é a tua casa ou não… Não apanhas cartuchos do chão, não ajudas a limpar o mato, quando é preciso. E talvez ainda tenhas a lata de deixar lixo por lá…

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

Fora isso, tens aquele lema de vida que me faz tanta impressão: os outros que cuidem, para tu usufruíres. Se queres ter, tens de cuidar, sabias? Se queres ver, tens de cuidar. Se queres caçar, tens de cuidar.

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

Um animal é somente um animal, para ti. Não têm essência, não têm dignidade, não têm história. Trata-los de qualquer maneira. Mas, se não tens respeito por ti próprio, como haverias de ter com os animais, não é?

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

Não queres saber de leis, de regras ou de valores. Tudo é tão fácil para ti. Não queres saber do que os outros te dizem, não queres aprender, porque pensas já saber tudo. Não há limites, mas não te esqueças que, por vezes, até o céu é o limite…

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

Matas o que tiveres à frente, seja macho, fêmea ou uma cria. Queres quantidade, em vez de qualidade. Não sabes o que é a caça, porque nunca a viveste, só a destruíste. Não sabes o que é perseguir uma peça de caça, com um cão, ou sozinho entre os montes e vales que chamam por nós. Nem sequer sei se conheces o sabor do suor enquanto caças, ou aquela dificuldade em respirar depois de subires um cabeço atrás de uma galinhola. 

Tu, porque é que matas, em vez de caçares?

A morte é uma consequência, não um objetivo. Talvez esta seja a grande diferença entre tu e eu! Entre nós, caçadores, e vós, matadores!

E és tu que matas, em vez de caçares, que estás a destruir, pouco a pouco, tudo aquilo que de melhor existe: a natureza, os animais e os caçadores!

ML.

 

Screenshot_20180619-092949.png

 

Futebolistas (caçadores) que jogarão no Mundial

São jogadores de futebol. Vão jogar neste Mundial. E... são Caçadores.

 

Edinson Cavani

O jogador do PSG, Edinson Cavani, tem sido muito criticado nas redes sociais, com um vídeo que colocou junto a um helicóptero e a um javali que caçou. O uruguaio participou num controlo de espécies, devido aos numerosos danos que provocam na agricultura.

edinson-cavani-1.jpg

 

Luka Modric

O croata é um dos jogadores de Madrid adepto da atividade cinegética que pertence ao exclusivo "clube de caçadores", como a imprensa apelidou, com os colegas Sanchís, Raúl, Cañizares ou Martín Vázquez.

luka-modrić-696x413.jpg

 

Pepe

Outro aficionado da caça: o jogador português Pepe.

146296722.jpg

 

Pepe Reina

O guarda redes do Napoli é um amante da caça. "A autencidade da caça é sentir o lance, sentir a emoção, apreciar a paisagem, os cheiros ... no fundo, é uma simbiose com as peças de caça", salienta. Começou a gostar de caça quando caçou um veado de 13 pontas, com alguns amigos. A espécie cinegética de que mais gosta é o corço.

goal_pepe-reina-napoli-serie-a-2016-17_11jc9yhqv96

 

Sérgio Ramos

O último dos jogadores que integrou o grupo do "clube de caçadores". O capitão da seleção espanhol é também um grande aficionado pela caça.

ramos-696x378.jpg

 

Kepa Arrizabalaga

O jogador da seleção espanhola Kepa Arrizabalaga disse numa conferência de imprensa que criava pintassilgos desde muito pequeno, e que com eles ganhou várias competições de canto. Se Espanha ganhar o Mundial, diz que fará uma exposição.

germany-u21-v-spain-u21-uefa-european-under-21-cha

 

Fonte: Jara Y Sedal 

Mêda | 5º Encontro de Matilhas

Todos sabem que uma das coisas que mais gosto são os cães. E, para mim, a caça só faz sentido com eles.  Desde pequena que convivi com tantos e tantos cães, tal como nos dias de hoje. E se há uma coisa que me apaixona nas montarias, é isso mesmo: os cães. E se há uma coisa que me “apaixona” nos matilheiros é a forma como tratam os seus cães, que tem evoluído de dia para dia. Já vi matilheiros a chorarem pelos cães, já vi matilheiros a ficarem horas sentados no mesmo sítio à espera de um cão, já vi matilheiros com lágrimas nos olhos quando falam da sua matilha… E quero acreditar que isto é o verdadeiro significado de ser matilheiro. Pelo menos, para mim.

E talvez tenha sido esta paixão pelos cães que levou a que me interessasse mais e mais por todas estas dinâmicas com os cães, nos vários tipos de caça…

Aqui surge o António Ramos e a forma como sempre me tratou. Se preciso de alguma coisa, o António está lá. Se há alguma notícia, o António já sabe. É uma pessoa que respeito muito neste meio, principalmente pelo trabalho que tem feito com os matilheiros, como já tive oportunidade de lhe dizer. Sem o António, a APMCM não seria a mesma…

Neste contexto, e seguindo esta paixão pelos cães e esta amizade com o António, tive oportunidade de ir este fim de semana a Mêda, com o intuito de falar sobre a caça com as crianças que poderiam estar presentes e conhecer toda a dinâmica do encontro de matilhas.

As expetativas eram altas; sabendo que não sou uma matilheira, nunca fui posta de lado pelos mesmos e todos me recebem calorosamente. Aqui, em Mêda, não foi diferente. Com mais de 80 matilhas presentes, com mais de 1000 cães a ladrar para marcar presença, posso dizer que o meu fim de semana foi maravilhoso!

35077712_10155382910515685_5452418994671714304_n.j

 

E já que havia concurso de beleza de podengos aproveitei, juntei os meus dois grandes companheiros destas andanças: o Zé e o meu pai, e fomos até Mêda, juntamente com a “nossa matilha” podengueira!

Fomos recebidos com o calor do norte, apesar do frio que se sentia em pleno mês de junho. Jantamos no restaurante do Morgado, que tão bem nos recebeu e tratou. Passamos a noite num hotel em Longroiva, simplesmente fantástico, e ideal para uma “escapadinha de fim de semana”.

Esta é outra das coisas maravilhosas da caça: a oportunidade que temos de conhecer cada canto de Portugal. Mas aqueles cantos que ninguém quer visitar, porque são pequenas aldeias habitadas apenas por 100 ou 200 pessoas. Mêda não foi execeção. Uma pequena cidade da Beira Alta, com cerca de 2000 habitantes, mas com tanto para contar e descobrir.

35146441_10211355635515352_6192562234820919296_n.j

 

As pessoas saíram de casa e foram ao pavilhão onde havia stands de caça, de produtos para venda (queijo, mel, vinhos…), onde havia uma Aldeia dos Caçadores para as crianças brincarem, exposição de cães e ovelhas, demonstração de cães pastor e de rasto, concursos de beleza de cães… Enfim, toda uma panóplia de atividades que não nos deixaram parar um segundo.

35077178_10211355636715382_6033626673679695872_n.j

35238981_10211355682396524_8904941847269343232_n.j

 

Quero dar aqui destaque à Aldeia dos Caçadores. A tantas feiras de caça que já fui e nunca tinha visto uma atividade dedicada somente às crianças. Esta pequena feira significou tanto neste sentido: um espaço para as crianças brincarem e aprenderem sobre caça. Pescaram, fizeram tiro ao alvo e ainda havia tempo para as pinturas faciais com os dois animadores que se encontravam no espaço. Grande iniciativa!

34877791_1993302007369536_1720086096550821888_n.jp

 

No sábado de manhã, quando chegamos ao local da exposição, parece que tudo se transformou, como da noite para o dia. Os espaços outrora vazios, estavam repletos de cães maravilhosos, com duas caraterísticas que se destacavam em todas as matilhas: a beleza de cada cão e a forma digna como estavam tratados. Parabéns a todos os matilheiros presentes! Cães excecionais. Não havia nenhum cão magro, todos tratados de forma exímia.

À tarde houve um concurso para cães de matilha, em que se apresentavam parelhas. As categorias e os vencedores foram os seguintes:

35144097_10155382910240685_55696418634989568_n.jpg

Cães de presa

1º Lugar -Rehala Vadillo

2º Lugar -Rehalas José Luís

3º Lugar -Matilha do Vouga

 

 

Cães cruzados

1º Lugar- Rehala Vadillo

2º Lugar - Matilha Terras de Faria

3º Lugar - Rehala porla

 

 

Cães de rasto

1º Lugar - Canil D' Aquem e d'Alem Mar

2º Lugar - Matilha Xokeiro

3º Lugar - Rehala el zorro

 

Cão de gado transmontano

1º Lugar - Matilha Ramalho

2º Lugar - Matilha Ramalho

3~º Lugar - Matilha Ramalho

 

Podengos cerdosos

1º Lugar - Canil Caixaria

2º Lugar - Gonzalo Corral

3º Lugar - Matilha do Vouga

 

Podengos lisos

1º Lugar - Matilha Morgado

2º Lugar - Tó Perdigão

3º Lugar - Gonzalo Corral

 

Matilha com melhor apresentação - Matilha Vozes de Bandarra

35076730_10211355557193394_8411222033605591040_n.j

 

Houve ainda tempo de entregar prémios aos Melhores Trajes Feminino e Masculino de Matilheiros. Parabéns a todos estavam maravilhosos!

35067492_10155382910180685_6083091210732306432_n.j

 

Entre gargalhadas, piqueniques e muito boa disposição, creio que os matilheiros saíram deste encontro com a certeza de que estão mais fortes e melhores que nunca, contando com o apoio de todos os verdadeiros caçadores e da APMCM.

35051488_10211355549193194_3205385512353267712_n.j

 

No domingo houve uma prova de cães coelheiros, com o apoio da Associação Portuguesa de Biodiversidade e Cinegética (APBC) que alberga sempre muitos concorrentes e curiosos.

35143325_10211355635115342_1053660446709514240_n.j

 

Depois da primeira prova, das semi finais e da final, as classificações ficaram assim ordenadas:

1º Lugar – António Perdigão

2º Lugar – Nuno Fanado

3º Lugar – Marco Pires

4º Lugar – Abel Gonçalves

5º Lugar – Jorge Maximiano

35077234_2060881114125857_3514468899619864576_n.jp 

Decorreu também, neste dia, o I Encontro de Ovinicultura, mostrando que a caça e o mundo rural andam de mãos dadas.

À tarde, decorreu a exposição de morfologia de podengos portugueses, com a juíza do Clube Português de Canicultura (CPC), Amélia Taborda. O tempo não quis ajudar, e a chuva teimava em não parar e, por esse motivo, a exposição decorreu dentro do pavilhão, onde havia um parque com algumas perdizes. Ora, imaginem o comportamento dos nossos cães… Ladravam, latiam, davam piruetas, só para chegarem perto das perdizes! E creio que é tão fácil percebermos a importância que a caça tem para estes cães e que, realmente, esta é a sua função e a forma como ficam felizes (neste caso particular, diria mesmo histéricos) com as espécies cinegéticas.

Concorremos com os nossos podengos e saímos de lá muito satisfeitos, com vários prémios adquiridos. Como a juíza salientou várias vezes, apresentaram-se podengos muito bons e equilibrados, com este binómio tão importante – função (caça) e morfologia.

O Canil da Caixaria conseguiu os seguintes resultados:

 

Podengo Pequeno de Pelo Liso

2º e 3º Melhor Fêmea

 

Podengo Pequeno de Pelo Cerdoso

Melhor Jovem

Melhor Fêmea

 

Podengo Médio de Pelo Liso

Melhor Macho

 

Podengo Médio de Pelo Cerdoso

Melhor Macho

2º Melhor Fêmea

 

35055086_10155380927625685_8898750995509542912_n.j

 

Fiquei tão feliz, sabem? Não por mim, obviamente, porque o que mais gosto é de participar e divertir-me. Mas fiquei feliz pelos meus cães mas, sobretudo, pelo trabalho que o meu pai faz, há anos e anos com o podengo português. E aqui estão os resultados. Por vezes brinco com ele e digo-lhe “pai nós não temos podengos bonitos, só funcionais” e ele diz logo “esta minha Mafalda é parva”. Mas ele sabe tão bem como eu que os nossos podengos são maravilhosos e, para nós, os melhores do mundo. Não é assim que deve ser? Contudo, e creio que é essencial esta postura num criador de cães, sabemos sempre ver os defeitos e onde podemos / devemos melhorar. Por isso Pai, obrigada por todo o teu trabalho e dedicação com o nosso podengo. E obrigada por me fazeres caçadora… Quantas vezes digo isto…

 

E depois de toda esta envolvência num fim de semana particularmente bom, tenho de fazer um especial agradecimento ao António e felicitá-lo pelo maravilhoso trabalho. Parece tão fácil, mas só o é por si António. Muito obrigada!

Um obrigada a todos os matilheiros porque, sem eles, nada disto se faria.

E um obrigada gigante ao meu grande companheiro de vida porque, como lhe digo várias e várias vezes, sem ele nada disto seria possível! Este é o verdadeiro significado do amor…

ML.

Acampamento de verão para ligar os jovens à Caça

Foi anunciado na Feira Nacional da Agricultura, pelo presidente da Associação Nacional de Proprietários Rurais, Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC), António Paula Soares, a organização do primeiro acampamento de verão para crianças entre os 8 e os 14 anos, com o intuito de "mostrar às crianças toda a componente, não apenas da caça, mas também da sua ligação com a conservação da natureza e biodiversidade”, como salientou António na entrevista que deu ao jornal i.

 

Todos sabemos a realidade que a caça atravessa, nomeadamente, com a falta de jovens caçadores. Muitos poderão ser os motivos para tal situação; no entanto uma coisa é certa "as novas gerações têm menos ligação com o setor da caça, mas este está completamente enraizado no mundo rural e dinamiza a economia de forma direta e indireta, apesar de não ser essa a perceção urbana", diz António.

 

Esperança. Talvez tenha sido essa a palavra que fez com que surgisse esta nova ideia (execelente) de criar um acampamento de verão para as crianças conectarem-se com a natureza, o mundo rural e a caça. Já lá vai o tempo em que se acreditava que a caça era somente sinónimo de matar. Hoje em dia, uma pessoa minimamente informada sabe que a caça vai muito além disso, e é assim que as crianças devem ver este sector.

Como salienta António “a caça tem um papel muito preponderante”, nomeadamente na gestão e conservação da natureza e biodiversidade.

“É necessário um controlo gerido em parceria com o ICNF [Instituto Conservação da Natureza e das Florestas] porque, de outra maneira, vai criar-se um desequilíbrio total nos ecossistemas e habitats com consequências catastróficas. Hoje em dia temos javalis a invadirem as ruas de Setúbal e a irem para a Costa da Caparica. Não são casos pontuais e são cada vez mais frequentes”, garantiu António, sugerindo que é preciso atuar já. “Ainda não se chegou a um problema grave, mas quando os animais começarem a atacar humanos e a transmitir tuberculose, transmitida quer pela raposa quer pelo javali, irá atingir as pessoas”, concluiu.

 

Parabéns à ANPC pelo feito e pelo trabalho contínuo em prol da caça!

ML.

 

13800717-large.jpg

(Fotografia retirada do site https://www.al.com)

Cães de caça visitam mais de 500 alunos

A Escola Básica Gomes Freire de Andrade foi palco de muita animação, amor, carinho e brincadeiras, na passada semana. É que os cães de caça do Fernando Garrucho foram convidados a irem fazer as delícias dos mais de 500 alunos que ali estudam.

Beagles, podengos português e epagnuel breton visitaram estas crianças e mostraram que são cães polivalentes (e felizes): caçam, fazem companhia e ainda brincam e animam uma escola inteira. 

 

Foi um dia marcado pela boa disposição, pelo carinho entre cães e crianças e pelo conhecimento do que é um cão de caça. 

Para o Fernando, este "foi um dia absolutamente maravilhoso. Posso mesmo dizer que passei um dos melhores dias da minha vida enquanto criador de cães de caça. Estou aqui desde as 09h00 e ainda não me consegui ir embora" (nesta altura seriam 16h00). 

 

E como uma imagem vale mais que mil palavras, aqui vos deixamos estas imagens de puro amor e felicidade...

Muito obrigada Fernando, é assim que tem de ser!

ML.

 

34074371_10212067434897522_1447386489645170688_n.j

34070255_10212067407216830_2412768608049430528_n.j

34268784_10212067410216905_4535519622450905088_n.j

34288814_10212067407136828_4615884507873017856_n.j

34345377_10212067407416835_5855846960707141632_n.j

j.png

kk.png

 

 

Pág. 1/2