Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma Caçadora

Diário de uma Caçadora

Crise no Sporting ou Crise na Sociedade?

15 de Maio.

Eu que nem vejo televisão, estive mais de 3 horas em frente aos vários canais que reportavam a situação vivida em Alcochete.

Antigamente ia a todos os jogos do Sporting em casa, depois deixei-me disso, sem razão aparente. Comecei a desinteressar-me, talvez... Mas hoje voltei a viver o futebol de forma fugaz. E pelos piores motivos. 

15 de Maio.

O dia negro da história do Sporting mas, acima de tudo, o dia negro para todos aqueles que viveram na primeira pessoa estes acontecimentos.

 

Enquanto estava sentada a ouvir os relatos vividos em Alcochete naquela tarde ventosa e fria, dei por mim a pensar... Não no Sporting Clube Portugal como entidade, não no Bruno Carvalho como presidente, mas sim em todas as pessoas como Sociedade.

E que Sociedade é esta, dita tão evoluída e desenvolvida, onde existe esta violência? Mas porque é que há violência? 

 

Existem várias teorias que explicam os atos de violência: a teoria psicológica de Freud e Adler diz que todas as agressões são resultado de frustrações anteriores.

Concordo em absoluto e já falei disto várias vezes aqui, noutros contextos! Todo o ser humano que tem frustrações pendentes e não as consegue resolver, irá transportá-las para os outros, seja que de forma for, mas normalmente de forma agressiva/violenta, seja em comportamentos, atitudes ou palavras. 

 

Na teoria sociológica de Bandura e Walters a agressão é aprendida, assim como todo o comportamento humano. Entende-se o Homem como sendo um produto do meio onde está inserido, influenciado por diversos fatores.

Estou certa de que a nossa relação com os outros, desde que nascemos, irá influenciar a forma como nos comportamos em sociedade. 

 

Mas o que é certo é que as causas para a violência advêm, sem dúvida, de inúmeros fatores. E obviamente que todos nós compreendemos tudo isso mas, claramente, não conseguimos aceitar. E somos apenas meros espetadores... Quem viveu toda esta violência, certamente a repugnará ainda com mais intensidade.

 

E como se devem sentir estas pessoas que, apesar de receberem ordenados de milhões de euros, recebem também uma pressão constante oriunda de todos os lados? Como se sentem eles quando estão a treinar com a sua equipa e, vindo do nada, aparecem 50 figuras humanas de cara tapada, a partir tudo o que está à volta e a agredir todos os que estão presentes.

Como será que se sentiram, nesse momento? Como será que se sentem agora, passadas algumas horas? Sentem medo? Frustração? Raiva? Impotência?

Quem os ajudará? Quem os compreenderá? Quem irá fazer justiça? E de que servirá essa mesma justiça?

 

O futebol não pode ser o palco para explosões de violência e muito menos pode ter alguém que as incentiva, mesmo que de forma discreta ou inconsciente, vamos lá saber...

 

Porque chegamos a um nível onde a Sociedade atual está em crise. Uma crise intitulada de Terrorismo. E não falo do Daesh, mas sim de cada um de nós; da agressividade que existe dentro do ser humano e, sobretudo, dos atos repugnantes que alguém pode fazer a outra alguém, simplesmente porque nem todos gostam de verde…

 ML.

 

32708075_10212034042503405_8849106228744290304_n.j

 

 

1 comentário

Comentar post