Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Diário de uma Caçadora

Triquinela em carne de javali

Nos últimos dias, várias foram as notícias que alertavam para a deteção de triquinela em javalis caçados na região de Trás os Montes e a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já emitiu uma nota informativa, tendo determinado esta zona como área de risco.

Perante os casos detetados, a DGAV determinou, através do Edital 1/2018, que "todos os animais abatidos em atos venatórios (batidas, montarias ou ações de correção de densidade populacional com recurso a utilização de cães, com exceção das esperas, praticados na área destes concelhos, sejam submetidos a pesquisa de Triquinela antes de qualquer tipo de consumo, quer para colocação no mercado, quer para consumo doméstico privado".

 

Mas o que é isto da Triquinela?

A Triquinelose é uma doença causada por parasitas da espécie Trichinella. Nos animais está frequentemente associada à infeção do porco doméstico (Sus domésticos) e do javali (Sus scrofa). O Homem também pode padecer desta doença, reconhecendo-se hoje que, na Europa Ocidental, a principal fonte de infeção para o homem ocorre por ingestão de carne de javali e de porco cozinhada a baixas temperaturas ou a produtos cárnicos (como é o caso de enchidos).

A Traquinela não é visível a "olho nu", exigindo uma análise laboratorial para a sua deteção.

Esta era uma doença muito comum no mundo até aos anos 80. Desde essa altura, o número de casos diminuiu substancialmente, mas ainda ocorrem regularmente em locais onde é comum comer carne mal cozida, mesmo em países desenvolvidos da Europa. Atualmente o Centro de Controlo e Doenças dos Estados Unidos da América, estima que haja 10.000 casos de triquinelose humana por ano, no mundo.

 

Como se manifesta a Traquinela no ser humano?

A infecção é adquirida pelo consumo de carne mal cozida de cistos com larvas de trichinella. As enzimas digestivas abrem os cistos e estimulam que as larvas penetrem pelas paredes do intestino, onde as larvas amadurecem e se reproduzem.

No homem, os principais sintomas associados à Triquinelose incluem dor abdominal, náuseas, vómitos e diarreias, dores musculares, dificuldade respiratória, dificuldade em deglutir, edema das pálpebras. Em casos mais graves pode ocorrer insuficiência cardíaca e distúrbios neurológicos como dor de cabeça e vertigem. 

 

O que fazer?

O despiste de triquinela em carne de javali existe desde 2015, sendo um serviço gratuito para caçadores em Trás-os-Montes. Desde 2015 que o Safari Club International Lusitânia Chapter e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), juntaram-se num projeto-piloto de despiste de triquinela em carne de javali. Este clube de caçadores suportou os custos de equipar um laboratório para despistagem de triquinela em carne de javali na UTAD, tendo como responsável a investigadora Dra. Madalena Vieira Pinto.

A UTAD presta de análise das amostras de carne enviadas pelos caçadores, de qualquer ponto do país, tendo sido feitas várias ações de divulgação da iniciativa em feiras de caça a nível regional e nacional.

Para o efeito foi criado um kit, distribuído gratuitamente aos caçadores, composto por:
- Envelope almofadado com selo e direção do laboratório;
- Material para acondicionar a amostra (pedaço de músculo);
- Folheto informativo sobre a Trichinella e o processo de recolha e envio da amostra;
- Ficha de preenchimento obrigatório com os dados do caçador e da amostra enviada.

O caçador é informado do resultado 24 horas após a receção da amostra.

Para mais esclarecimentos sobre este assunto, poderão ser contactados:

Dra. Madalena Vieira Pinto (UTAD)
E-mail: mmvpinto@utad.pt
Telf.: 259 350 523 / 510

 

(Informação retirada do Correio da Manhã e SCI)

 

javali.jpg