Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma Caçadora

Diário de uma Caçadora

Um fim de semana em terras minhotas...

Quando recebi o convite da Patrícia, da equipa Despertar (Entidade Formadora de Viana do Castelo com projetos na área da Igualdade de Género), constituindo-se como organizadora dos eventos Girls Lean In (mulheres inspiradoras são convidadas a partilhar as suas experiências positivas em termos de empreendedorismo, concretização de sonhos e projetos ou atividade em áreas dominadas pelo sexo masculino, para assim incentivarem outras a fazer o mesmo e a quebrar com os estereótipos de género) não poderia ter ficado mais feliz. Aceitei de imediato, sem sequer pensar na distância que nos separava.

Nunca tinha estado no Minho, pouca convivência tinha tido com os minhotos e talvez por isso tenha vindo ainda mais surpreendida e com a certeza de que consegui sentir o calor do povo português na sua máxima expressão.

 

A poucos dias da apresentação, fiz um pequeno powerpoint com algumas ideias a reter mas, sobretudo, com muitas imagens – uma imagem vale sempre mais do que mil palavras. Decidi estruturar uma apresentação para caçadores mas, sobretudo, para não caçadores, pois sabia que esse publico iria fazer parte desta conferência.

Receosos com o temporal que se fazia sentir em Lisboa, partimos até Viana do Castelo à hora de almoço, apanhando muita chuva e, muitas vezes, não conseguindo ver mais nada, para além dos para brisas a trabalharem… Confesso que à medida que nos íamos aproximando do destino, a ansiedade ia aumentando… Uma coisa é fazer uma conferência entre caçadores, outra coisa é falar para pessoas que poderiam ser, por exemplo, contra a caça.

Chegamos à Despertar e fomos muito bem recebidos por toda a equipa, com principal destaque pela Patrícia, que nos encaminhou até à sala onde iria ser realizado o evento. Surpresa das surpresas, estava um cantinho preparado para nos receber, com vários pormenores relativos à caça. “Gostamos sempre de mimar os nossos oradores e preparar-lhes uma pequena surpresa”, disse-me a Patrícia. Creio que a ansiedade se quebrou naquele momento, porque me senti realmente em casa.

 

28943320_10156355788144455_544883715_o.jpg

As pessoas começaram a chegar. Desde caçadores mais jovens, outros mais velhos; a mulheres que nada sabiam de caça; e a crianças que queriam ser caçadoras, todos fizeram parte deste nosso momento, em que conseguimos partilhar várias coisas. A plateia ia estando atenta ao que eu ia dizendo, o que é sempre bom para nós, dá-nos mais força e motivação.

29104227_1571155476313924_493124870498942976_n.jpg

Houve espaço para algumas perguntas, histórias e sugestões. No final, todos saímos de lá a saber um bocadinho mais, porque ter a capacidade de aprender com o outro é uma virtude que poucos têm.

 

29003831_10156355789219455_549924907_n.jpg

Quando as pessoas se começaram a ir embora, a Patrícia veio ter comigo e disse-me “Obrigada, gostamos muito de a ter cá. As mulheres que vieram vê-la, e que nada sabiam de caça, disseram-me que não imaginavam que a caça era assim e que poderia ser tão benéfica para a natureza e animais”. Boa! Missão cumprida! E por isto já valeu a pena. Por isto e por ter uma menina linda na plateia, chamada Matilde, que queria ser caçadora quando fosse grande. São estas coisas que nos fazem continuar, não tenho a menor dúvida disso.

 

Depois de um bocadinho de conversa sobre caça e cães e depois de receber um coração de Viana maravilhoso, oferecido pela Patrícia, combinamos ir todos jantar. O Rui Mota e a Carla levaram-nos a um restaurante típico, tipo taberna, onde ninguém tem medo de usar uma linguagem mais colorida – e alguns palavrões – para dar humor à conversa. As pessoas do Minho são assim, e deve ser tão bom não ter medo de dizer “alhos e bugalhos” sem pensar no que os outros poderão dizer.

Começamos com mexilhões, camarão, ovas e búzios. Que delícia! Continuamos com vinho verde e com conversa animada… Caça e cães mas, acima de tudo, conhecemos um bocadinho mais as pessoas… E neste jantar, onde me deliciei com uma boa posta, tive oportunidade para conviver mais com o Rui e a Carla (e o seu filhote) e com o Nuno Santos. Para além disso, conhecemos também o Flávio Miranda e o Bruno Araújo, que nos contemplaram com tantas histórias… E quero agradecer a estas pessoas o jantar fantástico que nos proporcionaram e, principalmente, a calorosa companhia!

 

28944893_10156358851004455_1065214833_o.jpg

28871935_10213960765846375_7778665258909958144_n.j 

Decidimos passar o fim de semana em Viana do Castelo, oferecido pela Despertar e pela UCV (Utilidades Costa Verde). Um obrigada gigante, o hotel era maravilhoso e ainda deu para relaxar um pouco na piscina interior… Um fim de semana para relaxar, nem sei bem o que isso é!

 

No Sábado tivemos oportunidade para conhecer Viana do Castelo. As ruas da cidade, que nos envolvem em história, em sorrisos e em boa disposição. As bolas de Berlim do Zé Natário, a igreja de Santa Luzia, e os restaurantes que albergam turistas e minhotos… Tudo fez parte do nosso roteiro, até o tempo assim o permitir… Ah, e o mar de Viana também é maravilhoso, se bem que o vento não lhe dá tréguas…

 

28908177_10156358849849455_1720862912_n.jpg

28833266_10156358848629455_974158129_n.jpg

28928847_10155180038780685_1144505625_o.jpg

29019914_10155180056515685_1621697712_n.jpg

capa_15612.jpg

28832580_10156358849099455_67564805_n.jpg

28906413_10156358848939455_723504565_n.jpg

 

“A sério que estamos em Viana e vamos almoçar piza?”…

“Sim, Zé, a sério”…

O que os homens fazem por nós, mulheres gulosas….

 

O temporal Fénix não ajudou a que continuássemos a visitar Viana e, por esse motivo, fomos então relaxar para o hotel… Piscina, banho turco, sauna… Havia opções para todos os gostos…

 

À noite o nosso amigo Nuno Santos convidou-nos para irmos jantar até Ponte Lima, onde estava inclusive a haver a Feira da Caça e Pesca. Aceitamos de imediato… Fomos a um restaurante fabuloso, com o Nuno, a Goreti e o Diogo. Comemos até não conseguirmos mais… Espetadas de carne e camarão, ananás, e um leite creme típico dali. A senhora que nos servia tratava-nos por “meus amores”. O que fiquei a gostar desta gente… Sorrisos em todos os rostos! A má disposição deve ficar noutro sítio…

29138209_10156358844979455_1162472150_n.jpg

E enquanto vou escrevendo este texto, tenho de proferir vários Obrigadas porque, realmente, estou tão agradecida a várias pessoas que nos proporcionaram este fim de semana fantástico. Aqui, uma vez mais, um obrigada gigante ao Nuno e à Goreti, receberam-nos tão bem, sempre preocupados connosco. Obrigada do fundo do coração!

 

O temporal fazia-se sentir… Ainda vimos Ponte de Lima, mas de carro… Fomos para o hotel e no dia seguinte, antes de irmos embora, iriamos ver a Feira da Caça e Pesca em Ponte Lima.

Depois de um pequeno almoço recheado de pão e croissants, chegamos a Ponte Lima, onde ainda tivemos oportunidade de ver umas quantas coisas… Não tinha ideia de que Ponte Lima era a vila mais antiga de Portugal… E que linda que é! A ponte sobre o rio Lima, dá vida à cidade… E nem o mau tempo a “adormeceu”!

 

imagem8.jpg28906654_10155180056675685_2028011629_n.jpg

 

Chegados à feira, estava o Luís Barata a fazer uma demonstração de cães de rasto, explicando uma série de pormenores muito pertinentes, desde o cão, o material que leva, a forma de agir no terreno. Gostei muito!

A feira tinha umas condições magníficas. Um pavilhão novo, coberto, onde os stands eram pequenas bancas em cortiça. Cá fora, os cães estavam todos em boxes novas, com muito espaço. Neste dia, apenas estavam os cães de rasto, pois era o concurso que iria haver da parte da tarde.

Conheci várias pessoas ligadas ao mundo da caça, e isso é o que mais retemos de tudo isto. Tenho de destacar duas delas: O Helder, das matilhas, que é uma pessoa extremamente simpática e que me levou, de propósito, um galo de Barcelos em barro. Absolutamente maravilhoso e desde já tenho de fazer um agradecimento muito grande, por este gesto tão bonito. Obrigada Helder!

 

galobarcelos.jpg

E o António Ramos, presidente da Associação de Matilhas. Nunca tínhamos tido oportunidade de nos conhecer pessoalmente, apesar de falarmos várias vezes. António mais uma vez lhe agradeço todo o seu trabalho e um obrigada especial pelo convite que nos fez para almoçar convosco e com todos os matilheiros, foi uma grande honra para nós!

 

28906399_10156358844789455_1996100232_n.jpg

Ainda houve tempo para ajudar a economia local e comprar uns legumes para a sopa e para ver a feira e as ofertas que dispunha. Ainda paramos um bocadinho na ANCG (Associação Nacional de Caçadores de Galinholas), a falar com o André.

 

28832548_10156358845449455_673230158_n.jpg

Muito obrigada por tudo, um a um! Proporcionaram-nos um fim de semana incrível!

Uma terra de lugares mágicos, onde cada recanto faz parte de uma nova descoberta. O Minho e os minhotos sabem receber tão bem... Apetece voltar a cada instante. Respira-se ar puro, simpatia, respira-se história através das fachadas de cada edifício centenário. Irei voltar, sem dúvida!